logo AzMina

7 coisas sobre sexo entre mulheres que todo mundo devia saber

por Helena Bertho
26 de agosto de 2019
Sexo lésbico é muito mais que oral e o que se vê nos pornôs
Lésbicas
Dizem por aí que transar com mulheres é sempre melhor. Será? Foto: Ithmus/Flickr

“Amiga, opera a cura hetero em mim que eu quero sexo bom pro resto da minha vida”, disse uma amiga dia desses.

Poxa, bem que eu queria poder operar a cura heterossexual por aí. Mas além da tristeza de não ter esse poder, a fala me fez pensar: as pessoas têm umas ideias muito loucas sobre como seria o sexo entre mulheres, né?  

Como quinta é Dia da Visibilidade Lésbica, eu estava num dilema com essa coluna: não é meu lugar de fala escrever sobre o ser lésbica, mas também não podia deixar a data passar em branco. Depois de muito pensar, achei que seria um ótimo momento de usar esse espaço focado em sexo para desmistificar algumas ideias que as pessoas têm sobre o sexo entre mulheres.

Assim a gente evita falas preconceituosas e também não se ilude achando que basta gostar de mulher para resolver todos os problemas sexuais da vida. 

1. É sexo

Parece besteira começar assim. Mas tem gente que acha que se não há um pênis envolvido, não é sexo. Mas não é bem assim. Já faz muito tempo que se considera sexo um monte de coisa além do coito (o ato da penetração do pênis na vagina com fins reprodutivos). Sexo é a troca física entre duas pessoas com objetivo de sentir prazer e é um conceito muito amplo

Tem gente que acha que até beijo é sexo. Pode até render um debate. Mas quando falamos em duas mulheres (cisgêneras ou trangêneras)  transando, é sexo sim. 

Leia mais: O que é sexo para você?

2. Não é só sexo oral

Já vi gente surpresa de escutar que lésbicas não ficam só chupando uma à outra. Veja só! O sexo entre mulheres envolve um monte de formas de estimular o corpo. Vai dizer que nunca ouviu falar de tesourinha? Também se usa muito a mão… E, inclusive, é mais comum que no sexo entre mulheres as envolvidas lembrem que existe um corpo todo ali, para muito além dos genitais, e que dá para sentir prazer de muitos (muitos mesmo) jeitos. 

3. Pode ter penetração 

Existe uma ideia comum de que o sexo entre mulheres não envolve penetração. Mas isso não é verdade. Algumas não gostam de ser penetradas, outras adoram. Muitos casais de mulheres usam dildos e vibradores para isso. O dedo também pode entrar na equação. E ainda existem mulheres trans que têm pênis e cujas parceiras gostam da penetração. 

A verdade, mais verdadeira, é que assim como no sexo entre homens ou no hétero, no sexo entre mulheres existe uma infinidade de possibilidades de práticas e jeitos de fazer. Quando as duas ali querem, vale tudo. 

4. Pode passar doença

Pois é. Rola sim transmissão de infecções sexualmente transmissíveis entre mulheres também. Mas não vou me estender aqui porque tem uma reportagem inteira sobre isso saindo esta semana com explicações mais detalhadas sobre os riscos e formas de prevenção. 

5. Não acontece para excitar homens

Pode parecer óbvio, mas dá uma busca em canais de pornografia para ver o que muita gente acha que é o sexo entre mulheres: praticamente um show de exibicionismo para excitar os homens. E por isso é comum que casais de mulheres ouçam falas como “posso participar?”, quando estão se beijando. 

Acho que nossa sociedade está tão acostumada a pensar a sexualidade a partir de um ponto de vista masculino, que tem homem que honestamente não entende que não é sobre ele. Mas é bom saber que, no geral, quando duas mulheres transam, elas estão procurando excitar uma à outra e só.

6. É bem diferente dos pornôs

Ao contrário do sexo entre mulheres, a pornografia lésbica tem um volume bem grande de material feito para excitar homens. E que simplesmente não têm lastro com a realidade. Unhas gigantes, por exemplo, são o terror do sexo sapatão. Além disso, tapas na ppk. Com certeza deve ter alguém que gosta, mas não é assim tão recorrente quanto nos vídeos. E nem vamos falar da língua dura que tenta fazer as vezes do pênis…

7. Não é porque é mulher, que faz gostoso

Essa é pra amiga que quer ser convertida na esperança de só ter transas boas: você vai se frustrar. Até porque, o que é fazer gostoso, né? Cada uma tem um gosto, uma sensibilidade, um ritmo. Então pode acontecer de uma não curtir o jeito que a outra chupa, ou o ritmo com que se mexe. Como todo sexo, é encontro. 

E claro, também, envolve prática. A mulher que nunca transou com mulher vai precisar de algum tempo para se adaptar aos novos jeitos de fazer e desapegar o ritmo frenético da britadeira aprendido com os homens. 

* As opiniões aqui expressas são da autora ou do autor e não necessariamente refletem as da Revista AzMina. Nosso objetivo é estimular o debate sobre as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Apoie AzMina

A Revista AzMina alcança cada vez mais gente e já ganhou mais prêmios do que poderíamos sonhar em tão pouco tempo. A gente acredita que o acesso a  informação de qualidade muda o mundo. Por isso, nunca cobraremos pelo conteúdo. Mas o jornalismo investigativo que fazemos demanda tempo, dinheiro e trabalho duro – então você deve imaginar por que estamos pedindo sua ajuda.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que gente que não pode pagar pela informação continue tendo acesso a ela. Porque jornalismo independente não existe: ele depende das pessoas que acreditam na importância de uma imprensa plural e independente para um país mais justo e democrático.

Apoie AzMina

Apoie o jornalismo em defesa da mulher