logo AzMina

Trans e gay é a mesma coisa? Entenda a diferença

Não, não são a mesma coisa. A gente explica o que é identidade de gênero e orientação sexual
por Laura Reif
19 de junho de 2019
Ilustração: Larissa Ribeiro

LGBTQI++: são tantas as letras da sigla, que tem muita gente confusa sobre o que cada um quer dizer. Ser trans é a mesma coisa que ser homosexual? Qual a diferença entre identidade de gênero e orientação sexual? Para não falar nada preconceituoso e magoar alguém, a gente ajuda a entender.

Para isso, é preciso esclarecer esses dois conceitos centrais. É fácil misturar as duas coisas quando não se sabe bem o que elas são. Mas, na verdade, é mais simples do que parece.

O que é gênero e identidade de gênero?

Enquanto o sexo biológico define com qual aparelho reprodutor uma pessoa nasceu, gênero é a palavra usada para definir os códigos sociais que existem para definir o que é masculino ou feminino. Passa pelas roupas, pelo jeito de andar, corte de cabelo e várias outras características que podem variar em cada cultura. É graças a isso que a gente consegue dizer que uma pessoa é homem ou mulher, sem olhar seu genital.

Leia mais: Não é só o gênero que é socialmente construído, o sexo biológico também

Mas o que esses papéis representam muda de sociedade para sociedade. No livro “Orientações sobre Identidade de Gênero: Conceitos e Termos”, a  escritora e psicóloga Jaqueline Jesus explica que “ser masculino no Brasil é diferente do que é ser masculino no Japão, ou mesmo na Argentina. Há culturas para as quais não é o órgão genital que define o sexo”.  

Então identidade de gênero é o conjunto desses papéis socialmente aceitos que a pessoa usa para mostrar para o mundo o seu gênero.

Transexual e transgênero

Se uma pessoa diz que ela é transgênero, isso quer dizer que ela quebra as regras sociais que ditam como cada sexo deve se comportar. Em outras palavras: a pessoa trans não identifica seu gênero com o sexo biológico com o qual nasceu.

Uma mulher trans é uma pessoa que nasceu como aparelho reprodutor masculino (pênis e escroto), mas se identifica como mulher. Um homem trans é uma pessoa que nasceu com o aparelho reprodutor feminino (em geral, vulva, vagina, clitóris, útero, trompa e ovários), mas se identifica como homem.

Leia mais: Ideologia de gênero: entenda o assunto e o que está por trás da origem do termo

A palavra transgênero é utilizada para incluir em um só termo transexuais, travestis e outras formas de identidade de gênero, como pessoas não-binárias. Quem escolhe o que usar é a própria pessoa.

A transexualidade não é uma orientação sexual, é uma questão de identidade de gênero.

Cisgênero

É o termo para pessoas cuja identidade de gênero corresponde ao sexo que lhes foi atribuído no nascimento. Por exemplo, alguém que se identifica como mulher e foi designada como mulher ao nascer por conta do sexo biológico é uma mulher cisgênero (cis).

Ele ou ela? Como devo tratar uma pessoa trans?

Aqui é importante ressaltar a empatia e o respeito. Trate a pessoa pelo gênero com o qual ela se identifica, independentemente de ela ter operado a genitália ou de ter retificado seus documentos. Tratar uma mulher trans como homem não só é desrespeitoso, é transfobia.

O que é orientação sexual?

A orientação sexual fala sobre a atração física ou emocional que um indivíduo sente por outro, do mesmo gênero ou não. Ou seja: de quem a pessoa gosta. Assim, a heterossexualidade, a homossexualidade e bissexualidade são orientações sexuais.

Leia mais: Minha namorada bissexual vai me trocar por um homem?

Quem é heterossexual sente atração por pessoas do gênero oposto. Quem é homossexual, por pessoas do mesmo gênero. E quem é bissexual sente atração por ambos os gêneros.

Opção ou orientação?

O termo “opção sexual” não deve ser usado, já que a sexualidade não é uma escolha. Ninguém escolhe ser heterossexual, da mesma forma que ninguém escolhe ser homossexual. Cada um é o que é.

Homossexualidade ou homossexualismo?

O sufixo de origem grega “ismo”, denota “condição patológica”, ou seja, doença. Mas ser homossexual não é doença. No dia 17 de maio de 1990 a Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou a homossexualidade da lista internacional de doenças, deixando de existir também o termo “homossexualismo”. E vale lembrar: não dá para curar quem não está doente!

Trans hétero, trans gay. Oi?

A identidade de gênero da pessoa fala só sobre como ela se identifica, mas não diz nada sobre as pessoas de quem ela gosta. É a orientação sexual que trata do gostar. Explicando:  Uma mulher trans é uma mulher. Se ela sentir atração exclusivamente por homens, ela é uma mulher trans heterossexual. Se ela gostar só de mulheres, ela é lésbica. E se gostar dos dois, bissexual.

Quantas orientações sexuais existem?

Ainda são muitas as discussões acerca do tema, especialmente levando em conta que ainda estamos descobrindo o que é sexualidade. Mas para esclarecer, algumas das orientações mais conhecidas são:

Heterossexual  –  Pessoas que sentem atração sexual apenas por pessoas do gênero oposto.

Homossexual - Pessoas que sentem atração sexual apenas por pessoas do mesmo gênero.

Bissexual - Pessoas que sentem atração sexual por pessoas do gênero masculino e pessoas do gênero feminino.

Pansexual - Pessoas que sentem atração sexual por outras pessoas, sem distinção de gênero.

Assexual – Pessoas que não sentem atração sexual. Podem sentir outros tipos de atração e ter vida sexual, mas não experienciam atração sexual.

E identidade de gênero?

Em um primeiro momento, podemos pensar que as identidades de gênero são duas: homem e mulher. No entanto, isso também está mudando. Existem já pessoas que se identificam como não-binárias. Isso quer dizer que elas não se encaixam nem na caixinha dos papéis sociais definidos como femininos, nem nos dos masculinos.

Leia mais: “É muito tarde para silenciar questionamentos sobre gênero”, diz Judith Butler

Gênero fluído é usado por aquelas pessoas que podem ter uma compreensão variável sobre sua identidade de gênero, em um dia mais mulher, em outro mais homem.

Já intersexo é aquela pessoa que cujos corpos não estão dentro dos padrões nem de homem, nem de mulher. Pode ser por alterações genéticas, de gônadas ou genitais.

Existem muitos outros termos e vários deles ainda estão sendo definidos. Na dúvida, o importante é aceitar a definição que a pessoa tem de si e respeitar.

Fontes:

Apoie AzMina

A Revista AzMina alcança cada vez mais gente e já ganhou mais prêmios do que poderíamos sonhar em tão pouco tempo. A gente acredita que o acesso a  informação de qualidade muda o mundo. Por isso, nunca cobraremos pelo conteúdo. Mas o jornalismo investigativo que fazemos demanda tempo, dinheiro e trabalho duro – então você deve imaginar por que estamos pedindo sua ajuda.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que gente que não pode pagar pela informação continue tendo acesso a ela. Porque jornalismo independente não existe: ele depende das pessoas que acreditam na importância de uma imprensa plural e independente para um país mais justo e democrático.

Apoie AzMina

Apoie o jornalismo em defesa da mulher