logo AzMina
6 de fevereiro de 2018

Moxine, duo de indie pop, lança EP sobre amores e rumos incontroláveis

Mônica​ ​Agena assina a produção do "Passion Pie", que reafirma a importância da mulher na música

 
Moxine é um duo paulista de indie pop​ formado há oito anos pela ​baixista ​Fabiana Lugli e guitarra-vocal de Mônica Agena, já conhecida por acompanhar artistas como Natiruts, Emicida, Fernanda Takai e outros.

Apostando num rock orgânico misturado a elementos eletrônicos,​ Passion Pie traz composições autorais obscuras, sobre amores e seus rumos incontroláveis. Tudo isso num​ ​embalo​ ​pop​ ​e​ ​de​ ​refrões​ ​espertos.

Com produção musical assinada pela própria Mônica, espaço tipicamente masculino, a dupla reafirma a importância de a mulher tomar o seu lugar na música.

Capa do EP “Passion Pie”/ Foto de divulgação

Mônica conta “já fui muito dirigida por outros produtores. Acho que essa é a melhor maneira de aprender e encontrar a sua metodologia para produzir”.

“Fora isso, tem o lado psicológico, a autoconfiança, a segurança em si mesma, que você deve trabalhar e acreditar que pode sim fazer aquilo”, reflete Agena sobre o processo.

A banda acaba de lançar o lyric video “​Fantasiando”, faixa de abertura do EP que, segundo Agena, “é irônica e dramática ao falar de uma atração intensa e fatal”.

No clipe, a letra da música, que conta a história de um encontro que não aconteceu, surge a partir de um fundo preto em meio a cores neon, que nos remetem automaticamente para a pista de dança, uma balada. O balanço do riff da guitarra nos embala e permite criar nossa própria cena do encontro não encontro.

O vídeo foi produzido e animado por Alex Maia, que ​traduziu de maneira criativa os caminhos da letra numa animação com ares nostálgicos.

Assista aqui:

Ouça Passion Pie:

MÍDIAS SOCIAIS
Facebook | Instagram | Youtube | Spotify | Deezer | Google Play

* As opiniões aqui expressas são da autora ou do autor e não necessariamente refletem as da Revista AzMina. Nosso objetivo é estimular o debate sobre as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Somos movidas por uma comunidade forte. Falta você!

AzMina ajudou a revolucionar a cobertura de gênero no jornalismo brasileiro nos últimos 6 anos. Com informação e dados, discutimos temas tabus, fazemos reportagens investigativas e criamos uma comunidade forte de pessoas comprometidas com os direitos das mulheres. Muita coisa mudou nesse meio tempo (feminicídio deixou de ser “crime passional” e “feminista” xingamento), mas as violências contra as mulheres e os retrocessos aos nossos direitos continuam aí.

Nosso trabalho é totalmente independente e gratuito, por isso precisamos do apoio de quem acredita nele. Não importa o valor, faça uma doação hoje e ajude AzMina a continuar produzindo conteúdo feminista que faz a diferença na vida das pessoas. O momento é difícil para o Brasil, mas sem a nossa cobertura, o cenário fica ainda mais tenebroso.

FAÇA PARTE AGORA