logo AzMina
5 de maio de 2016

“Sou mulher, sou indígena e sinto isto aqui”

Em documentário dirigido por Glicéria Tupinambá e Cristiane Pankararu, mulheres falam do preconceito que enfrentam fora de suas comunidades e o machismo de dentro delas

Resolvemos entregar o Divã d’AzMina de hoje a mulheres indígenas ouvidas pelas documentaristas Glicéria Tupinambá e Cristiane Pankararu. Neste documentário, mulheres falam do preconceito que enfrentam fora de suas comunidades e o machismo de dentro delas. Um olhar simples e belo para essas mulheres que são tantas vezes esquecidas pela sociedade – e até por alguns grupos feministas.

 

* As opiniões aqui expressas são da autora ou do autor e não necessariamente refletem as da Revista AzMina. Nosso objetivo é estimular o debate sobre as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Ei, você quer que o jornalismo feminista exista?

AzMina coloca tecnologia, dados e jornalismo a serviço do feminismo. Se você acredita nesse trabalho e quer que ele continue, apoie hoje o jornalismo independente que fazemos.

EU APOIO AZMINA