Foto: Pixabay.com

O autocuidado tem sido um processo de mergulho em mim mesma e também de reprogramação da minha mente. Pra que ela trabalhe a meu favor e não contra mim.

Quando falo sobre reprogramação mental, me refiro a um sistema integrado de crenças que está nos levando a agir sem consciência da nossa responsabilidade em co-criar nossa realidade. Eu só percebi isso depois de muito cair na armadilha das minhas próprias crenças limitantes. O trabalho do autoconhecimento, nesse caso, passa por todo um sistema holístico que nos ajuda a entender melhor quem somos e a trabalhar com essas informações pra que os desafios diários sejam encarados com segurança e tranquilidade.

Às vezes eu sinto que minhas emoções são um furacão que passa em cima de um quebra cabeças de 100 mil pecinhas quando eu estava começando a vislumbrar um caminho de começo.

A meditação é uma grande aliada nesse processo de autoconhecimento e autocuidado.

Existem estudos que mostram que há uma escala de padrão que mostra que cada sentimento emite uma determinada frequência. Se você vibrar numa frequência de tristeza só atrairá mais situações de tristeza para sua vida. É algo físico, não é fantasia nem mistério. Se você quer mudar o que está atraindo para sua vida você precisa mudar a sua frequência vibracional. O que começa com os seus pensamentos.

tabela de consciência do Dr. David Hawkings, que é a medição e a determinação matemática de níveis de consciência dos seres humanos, é um dos trabalhos pioneiros e mais interessantes do médico psiquiatra americano (1927-2012) trazidos ao público em grande parte no livro “Poder contra Força: Uma Anatomia da Consciência – Os Determinantes ocultos do comportamento humano” (Power vs Force: The Hidden Determinantes of Human Behaviour), de 1995. Hawkins realizou várias pesquisas usando a Cinesiologia e relacionou os níveis de consciência em estratificações que contém algumas semelhanças com, por exemplo, as estruturas dos chakras do Yoga e dos latiaf do Sufismo (ou de outras escolas espirituais e abordagens psico-espirituais).

O pensamento possui um poder incrível. É uma força dinâmica, magnética como a gravitação, coesão e repulsão. O pensamento é a força mais sutil, mais vital que existe no Universo. É mais poderoso que a eletricidade. Ele se move e a velocidade supera a velocidade da luz; é instantâneo na sua propagação.

Você só pode sentir o que pensa. Se você tiver um pensamento negativo, vai se sentir triste, deprimida; se tiver um pensamento positivo vai se sentir alegre, calma, entusiasmada.

Mas, gente, se nós fomos educadas a viver com medo, como faz? Medo de não conseguir um trabalho, medo de não conseguir estabilidade, medo de homem, medo de mulher, medo de ficar solteira, medo de casar, medo de ser rejeitada, medo de os peitos caírem, medo de a bunda cair, medo de ficar magra, medo de ficar gorda, medo de ser inteligente, medo de ser ignorante…medo, medo, medo de tudo.

Pra abrir espaço pra reprogramação mental nessa cabeça cheia de medo que a gente tem, existem várias técnicas. Uma delas é a meditação.

Eu comecei a praticar quando estava num momento difícil da minha vida, quando eu acordava com a cabeça girando em forma de mil pensamentos sobre tudo que você possa imaginar. Uma ansiedade por algo que eu nem sabia descrever o que era. Só sentia uma urgência sem fim.

Eu pensava no passado, nas coisas que passei de ruim e alimentaram o meu mais profundo medo: não ser capaz de prover pra mim mesma. Viver uma vida sem o suficiente pra minha existência com conforto.

O futuro era sempre incerto e isso me jogava de volta àqueles pensamentos passados: e se eu não conseguir trabalhar pra isso? E se eu ficar doente? E se um boy me der uma rasteira de novo? E as contas? E semana que vem, como vou no mercado?

Acordar com esses pensamentos estava me enlouquecendo. Juro. Eu queria que aquelas perguntas simplesmente parassem de girar logo que abria os olhos de manhã cedo, quando decidiam me forçar a acordar pra simplesmente me enlouquecer. Tipo um despertador às 6h em pleno domingo, só que todo santo dia.

Minha cabeça era uma nuvem de poluição e eu queria desesperadamente ver o sol.

Por meio da yoga me conectei com a meditação e percebi uma grande diferença quase instantânea. Conseguia acordar e me sentir mais segura. E, se acordasse com as perguntas girando, sabia que podia fazer com que parassem.

A meditação me deu essa chance. Pela primeira vez sentei e consegui afastar um pouco aquela nuvem…senti o sol entrar por um pequeno espaço e acariciar minha pele com seu calor.

Segundo cientistas que analisaram os resultados de dois estudos de 2010, um com 45 estudantes da Universidade de Oregon (EUA), e outro com 68 estudantes da Universidade de Tecnologia de Dalian (China), a meditação pode ser utilizada para combater doenças mentais.

A meditação é uma intervenção simples e barata com potencial para melhorar ou prevenir transtornos do cérebro.

“As descobertas deste estudo são notícias boas para todos nós. Se tão pouco quanto 11 horas de treinamento da mente melhora nosso cérebro, essa atividade acessível a qualquer pessoa a qualquer momento pode nos ajudar a desfrutar de mais clareza mental e estabilidade emocional em nossas vidas”, disse a neurocientista Elena Antonova, do Instituto de Psiquiatria do Kings College London (Inglaterra). Textos no Daily Mail e no New York Times falam sobre o assunto.

Quando abrimos espaço pra algo melhor, temos fôlego pra preencher esse espaço de forma criativa. Essa é a reprogramação mental.

Eu hoje adotei práticas muito simples pra meu autocuidado.

Meditação, yoga e viver tipo alcoólicos anônimos. Um dia de cada vez. Assim, eu faço meu melhor aquele dia, vivo minha vida no presente e deixo o passado onde ele está, sem querer moldar meu futuro. Até porque o futuro é agora.

Beijos e até breve,

Luna

 

* As opiniões aqui expressas são da autora ou do autor e não necessariamente refletem as da Revista AzMina. Nosso objetivo é estimular o debate sobre as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

**Você sabia que pode reproduzir tudo que AzMina faz gratuitamente no seu site, desde que dê os créditos? Saiba mais aqui.