logo AzMina

O conteúdo d’AzMina é livre de direitos autorais

Você sabia que pode reproduzir tudo que AzMina faz gratuitamente, desde que dê os créditos?

English | Español

Ilustração: Larissa Ribeiro
Ilustração: Larissa Ribeiro

Veículos de comunicação, blogueiros e pessoas físicas podem reproduzir as reportagens feitas pela Revista AzMina sempre que quiserem, é importante apenas seguir algumas regras:

AzM_vaquinha_bullet_1Títulos e intertítulos podem ser alterados para se adequar ao estilo do veículo. O conteúdo não pode ser cortado, reduzido ou editado e nem retirado do contexto sem ser aprovado pel’AzMina.

AzM_vaquinha_bullet_2

Todas as republicações devem trazer o nome da Revista AzMina e da autora com destaque, na parte superior do texto e o link para o texto original d’AzMina.

AzM_vaquinha_bullet_3

Todos os tweets sobre nossas reportagens republicadas devem conter a menção: @revistaazmina. Todas as menções no Facebook devem linkar para nossa página.

AzM_vaquinha_bullet_4As reportagens não podem ser revendidas.

 

AzM_vaquinha_bullet_5Fotos só podem ser republicadas junto com as reportagens, e com os devidos créditos. Vídeos podem ser reutilizados, desde que com os devidos créditos e link para nosso site. Nenhum logo a não ser o nosso deve ser utilizado ao final do vídeo, como acréscimo, e compartilhamentos de vídeos hospedados nas redes sociais devem ser feitos com compartilhamento a partir de nossa página.

Somos movidas por uma comunidade forte. Falta você!

AzMina ajudou a revolucionar a cobertura de gênero no jornalismo brasileiro nos últimos 6 anos. Com informação e dados, discutimos temas tabus, fazemos reportagens investigativas e criamos uma comunidade forte de pessoas comprometidas com os direitos das mulheres. Muita coisa mudou nesse meio tempo (feminicídio deixou de ser “crime passional” e “feminista” xingamento), mas as violências contra as mulheres e os retrocessos aos nossos direitos continuam aí.

Nosso trabalho é totalmente independente e gratuito, por isso precisamos do apoio de quem acredita nele. Não importa o valor, faça uma doação hoje e ajude AzMina a continuar produzindo conteúdo feminista que faz a diferença na vida das pessoas. O momento é difícil para o Brasil, mas sem a nossa cobertura, o cenário fica ainda mais tenebroso.

FAÇA PARTE AGORA