Mulheres se abraçam em reunião em que fazem os últimos preparativos para a Parada de Mulheres. Foto: Mídia Ninja

Neste momento, mulheres de todo o globo trabalham para retomar o significado originário do Dia da Mulher. A data nasceu há 100 anos como um símbolo da luta de mulheres operárias por melhores condições de trabalho, mas degringolou para um espetáculo de flores e chocolates. Amanhã, elas dizem: chega disso!

Feministas se organizam em torno do “Global Women’s Strike” – movimento que ganhou o nome de Parada das Mulheres Brasileiras por aqui. Impulsionado por grandes movimentos recentes como a Marcha de Mulheres em Washington contra o presidente americano Donald Trump e o argentino Ni Una a Menos, a rebelião feminina sugere que mulheres em todo o mundo cruzem os braços amanhã. Que não trabalhem, não lavem a louça, não passem roupa, não cuidem de ninguém. Mostrem, em suma, que difícil é um mundo sem elas.

“Nos articulamos com os movimentos internacionais para reforçar pautas feministas como a luta pelos direitos reprodutivos, o combate ao feminicídio, ao racismo, a LGBTfobia e a cultura do estupro”, explica Tati Magalhães, do Rosas pela Democracia, coletivo que está orquestrando a movimentação em Brasília. “No Brasil, acrescentamos a questão política nacional que são as reformas trabalhista e previdenciária, nas quais as mulheres são sempre as mais prejudicas.”

Tati completa que mulheres das mais diversas histórias, cores e camadas sociais são encorajadas a participar – principalmente as que fazem parte de minorias mais oprimidas. Internacionalmente, as principais demandas são:

Se você não consegue entrar em greve pra valer, mas apoia essas bandeiras, a organização sugere que participe da causa das seguintes maneiras:

Não faça nenhum tipo de tarefa doméstica e de cuidado aos outros.

Pare seu trabalho ou produção por uma ou duas horas.

Participe do apitaço no horário do almoço e convide seus amigos – o horário quente será 12:30, mas é possível flexibilizar.

Use elementos roxos na vestimenta, como camisetas ou fitas, e coloque panos roxos em carros e janelas das casas.

Não compre nada neste dia.

Bloqueie caminho e ruas.

Mude a foto de perfil das redes sociais aqui.

Instale uma mensagem automática de “fora do escritório” no email e explique o porquê.

Participe do twitaço às 12:30 com as hashtags #8m #8mbrasil #paradabrasileirademulheres #euparo

Participe de manifestações, piquetes e marchas na sua cidade. A gente disponibiliza uma lista completa das marchas nacionais pra você aqui.
 
 

Confira as maiores manifestações de cada estado:

 
ACRE
7:00 – Rio Branco

ALAGOAS
9:00 – MACEIÓ

AMAPÁ
16:00 – MACAPÁ

BAHIA
13:00 – SALVADOR

CEARÁ
8:00 – FORTALEZA
10:00 – QUIXADÁ-CE 
14:00 SOBRAL-CE

DISTRITO FEDERAL
16:00 – BRASÍLIA

ESPÍRITO SANTO
8:00 – VITÓRIA

GOIÁS
18:00 – GOIÂNIA
15:00 – JATAÍ

MINAS GERAIS
15:30 – BELO HORIZONTE
17:00 – JUIZ DE FORA 
17:00 – OURO PRETO 
17:00 – CALDAS

MARANHÃO
15:00 – SÃO LUIS 
17:00 – IMPERATRIZ 

MATO GROSSO
16:00 – CUIABÁ

MATO GROSSO DO SUL
8:00 – AMAMBAI 
8:00 – CAMPO GRANDE 

PARANÁ
9:00 – UNIÃO DA VITÓRIA
12:00 – IRATI 
16:00 – MARINGÁ 
16:00 – GUARAPUAVA 
17:00 – CURITIBA 
17:00 – LONDRINA 
18:00 – PARANAGUÁ 

PARÁ
8:00 – BELÉM 
17:30 – SANTARÉM 

PARAÍBA
17:00 – CAMPINA GRANDE
17:00 – JOÃO PESSOA 

PERNAMBUCO
14:30 – RECIFE 

PIAUÍ
16:00 – TERESINA 

RORAIMA
8:00 – BOA VISTA 

RIO GRANDE DO NORTE
7:00 – MOSSORÓ 
8:30 – NATAL 

RIO GRANDE DO SUL
8:00 – SÃO LEOPOLDO
8:00 – SAPUCAIA 
8:00 – NOVO HAMBURGO 
8:00 – ESTEIO
9:30 – SANTA MARIA 
12:00 – PORTO ALEGRE
16:00 – SÃO BORJA 
17:30 – JAGUARÃO 
0:01 – PELOTAS 

RIO DE JANEIRO
10:00 – CABO FRIO 
16:00 – RIO DE JANEIRO 
16:00 – MACAÉ 
16:00 – NOVA IGUAÇU + BAIXADA 
17:30 – PETRÓPOLIS 
18:00- VOLTA REDONDA 

SÃO PAULO

16:00 – São Paulo

Acompanhe os detalhes do movimento nesta página e nesta aqui.