logo AzMina

Por que tantas mulheres não gozam?

Mariana Stock, da Casa Prazerela, fala sobre como o machismo tem afetado o prazer feminino

Sabia que metade das mulheres brasileiras não tem orgasmos nas relações sexuais, segundo uma pesquisa do Prosex, da USP, de 2017? Para Mariana Stock, terapeuta orgástica e fundadora da casa Prazerela, isso tem muito a ver com o machismo. “”Numa sociedade machista, nós mulheres aprendemos que nosso lugar é como objeto de desejo do outro. A gente nunca aprendeu o que a gente deseja”, diz.

Nesse bate-papo com Nana Queiroz, ela fala sobre as questões por trás do nosso prazer e também da falta dele. E derruba alguns dos mitos e preconceitos que têm sido parte da construção da nossa sexualidade: “a gente precisa ressignificar o que é sexo, porque enquanto sexo for igual a penetração, a gente vai sair no prejuízo, nós mulheres. Penetração, depois que a gente descobre o sexo de verdade, é ato de compaixão com o parceiro”.

Quem está na cola do machismo mesmo?

Desde 2015, AzMina está do lado das mulheres e da luta pelos nossos direitos. E, ao nosso lado, nós tivemos muitas leitoras e leitores, que financiam o nosso trabalho e acreditam que jornalismo feminista deve chegar a todos. Graças aos nossos apoiadores, impactamos a vida de milhares de mulheres e produzimos cada vez mais conteúdos e projetos. Nossas reportagens, vídeos, podcasts, campanhas de conscientização e projetos como o PenhaS e o Elas no Congresso são totalmente gratuitos.

Se você valoriza tudo isso, considere fazer uma doação. Junte-se às mais de 500 pessoas que tornam o nosso trabalho possível. A maior parte dos nossos apoiadores contribui com R$ 20 mensais e cada real é importante.

O jornalismo feminista independente é muito essencial à Democracia sempre. Mas no Brasil de 2021, não podemos descuidar nem um dia. Para isso, AzMina depende de você.

APOIE A CONTINUIDADE DESSE TRABALHO HOJE!