logo AzMina

Os cartazes mais engraçados dos protestos de mulheres contra Trump

Não foram só os números da Marcha de Mulheres que chamaram a atenção dos EUA neste sábado, mas também seu senso de humor
por Nana Queiroz
21 de janeiro de 2017

De Washington, D.C.

Não foram só os números da Marcha de Mulheres contra o presidente americano Donald Trump que chamaram a atenção dos Estados Unidos durante este sábado. A criatividade e o senso de humor da mulherada também foram de espantar! A começar pelo tema da marcha que, como piada, encheu as ruas de toucas de gatinhos cor-de-rosa – em inglês, a mesma palavra para “gatinho” (pussy), significa também “buceta”.

A imagem era uma referência a uma das grosserias que o 45º líder dos Estados Unidos disse em sua campanha: “Mulheres a gente agarra pela buceta”. Centenas de milhares responderam em coro: “E a buceta ataca de volta”.

A organização esperava ao menos ao menos 200 mil manifestantes, mas os números foram muito maiores e elas tomaram quarteirões. No país, ultrapassaram um milhão. Nós d’AzMina andamos as ruas da capital americana e trazemos para vocês um pouco desta criatividade.

“Agora você irritou a vovó!” – Foto: Nana Queiroz/AzMina
“Libertem a Melania!” – em referência à primeira-dama dos EUA – Foto: Nana Queiroz/AzMina
Cartaz brinca com o hábito de Trump de chamar de “nojentas” mulheres que discordam dele. A tradução seria mais ou menos assim: “Nojenta? Você ainda não viu nada!” – Foto: Nana Queiroz/AzMina
“Útero: mais regulado do que armas” – Foto: Nana Queiroz/AzMina
“Eu sou uma mulher (female) FE = ferro Male = homem. Logo, sou um Homem de Ferro” – Foto: Nana Queiroz/AzMina
“Esta buceta ataca de volta” – – Foto: Nana Queiroz/AzMina
“Não acredito que ainda temos que protestar sobre essas merdas”- Foto: Nana Queiroz/AzMina
“Gentil é o novo sexy” – Foto: Nana Queiroz/AzMina
“Lugar de Mulher é na resistência” – Foto: Nana Queiroz/AzMina
“Primeiro você me dá vontade de vomitar, depois me tira o Plano de Saúde”- Foto: Nana Queiroz/AzMina
“Fúria da Meia Idade” – Foto: Nana Queiroz/AzMina
“Que bom que nasci mulher, senão seria Drag Queen” – Foto: Nana Queiroz/AzMina
Mulher veste fantasia de “buceta gigante” – Foto: Nana Queiroz/AzMina
“Dumbledore nunca deixaria uma coisas dessas acontecer” – Foto: Nana Queiroz/AzMina

* Você sabia que pode reproduzir tudo que AzMina faz gratuitamente no seu site, desde que dê os créditos? Saiba mais aqui.

Apoie AzMina

A Revista AzMina alcança cada vez mais gente e já ganhou mais prêmios do que poderíamos sonhar em tão pouco tempo. A gente acredita que o acesso a  informação de qualidade muda o mundo. Por isso, nunca cobraremos pelo conteúdo. Mas o jornalismo investigativo que fazemos demanda tempo, dinheiro e trabalho duro – então você deve imaginar por que estamos pedindo sua ajuda.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que gente que não pode pagar pela informação continue tendo acesso a ela. Porque jornalismo independente não existe: ele depende das pessoas que acreditam na importância de uma imprensa plural e independente para um país mais justo e democrático.

Apoie AzMina

AzMina é uma resposta feminista à desigualdade e ao preconceito