logo AzMina

Informação sobre aborto e contracepção? Há apps para isso

Desenvolvidos por organizações internacionais, apps trazem informações precisas e confiáveis sobre temas relacionados à vida sexual e reprodutiva das mulheres
por Letícia Ferreira
17 de fevereiro de 2020

O aplicativo Euki, nome inspirado no eucalipto, é uma enciclopédia didática de informações sobre saúde sexual e reprodutiva. Os conteúdos vão desde instruções para quem deseja engravidar até um passo a passo com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para realizar um aborto seguro. 

Assim como o Euki, existem outros aplicativos desenvolvidos por organizações internacionais reconhecidas que têm como objetivo levar informações precisas e confiáveis sobre temas relacionados a um assunto que ainda é tabu: a vida sexual e reprodutiva das mulheres.

A maioria, infelizmente, está disponível apenas em inglês. Então a principal barreira desses apps para as brasileiras é o idioma. O único que encontramos em português é um app do Ministério da Saúde chamado Saúde Sexual e Reprodutiva. 

Testamos os apps para contar o que eles oferecem. 

Leia mais: Como é feito um aborto seguro?

Sobre aborto e contraceptivos 

No aplicativo Euki, desenvolvido pela organização internacional sem fins lucrativos Women Help Women, é possível encontrar informações sobre saúde sexual e reprodutiva e também ferramentas para saber o que está acontecendo com o seu corpo. 

Aborto, contracepção, sexualidade, aborto espontâneo, gravidez e infecções sexualmente transmissíveis (IST) são os conteúdos que o aplicativo reúne. Ao clicar em cada um desses botões temáticos no app, a usuária acessa uma explicação geral sobre o assunto, com uma linguagem acolhedora. Em cada tema, informações mais específicas são pontos de partida para que as mulheres possam tomar decisões mais conscientes. 

Na aba de aborto, o conteúdo explica quais são os métodos para interrupção de gravidez que existem nos protocolos médicos. No menu sobre o tema, as usuárias têm informações sobre os efeitos colaterais e outras questões que ultrapassam os cuidados biológicos, para que saibam reconhecer mudanças psicológicas e considerem compartilhar a experiência com alguém de confiança e buscar apoio quando necessário.

Leia mais: Anticoncepcionais no SUS: quais estão disponíveis e como funcionam

Na área de contracepção, é possível selecionar seus hábitos e preferências para encontrar, em um jogo rápido, qual método combina mais com seus hábitos diários. 

Além de ser um grande agregador de informações, o Euki também funciona como uma agenda virtual. Você pode criar lembretes para tomar pílulas anticoncepcionais ou qualquer evento do seu ciclo menstrual. Já na aba de controle diário, existem opções para registrar acontecimentos e comportamentos do corpo a cada dia: se a usuária teve relações sexuais, se foram relações com ou sem proteção, quais eram as suas condições emocionais naquele dia.

Outro aplicativo que traz informações sobre aborto é o Safe Abortion, desenvolvido pela Hesperian Health Guides, uma organização americana também sem fins lucrativos, especializada em saúde. O app tem opções em diversos idiomas (inglês, espanhol, francês, igbo e yoruba), mas não em português.

O app traz informações sobre todas as etapas de uma interrupção voluntária da gravidez: ajuda a estimar o tempo de gestação, apresenta os métodos de aborto seguro e descreve os cuidados após o procedimento, como sinais de problemas e opções para a adoção de um método de contracepção. 

Para as grávidas e aspirantes

Também desenvolvido pela Hesperian Health Guides, o Safe Birth é um guia sobre maternidade e parto. Ele descreve sintomas comuns da gravidez, qual o tipo de atenção que a gestante deve ter em cada fase da gravidez, cuidados com a saúde, o que comer e o que evitar.

Para o momento do parto, os conteúdos explicam como outros profissionais, para além dos médicos, podem ajudar uma gestante antes e durante o trabalho de parto. As usuárias também têm informações para entender o que priorizar no hospital e quais cuidados e sintomas pós-gravidez ficar atenta. 

Para quem ainda está na dúvida de qual momento engravidar, o Euki também é uma opção. No botão gravidez, o conteúdo explica como uma mulher pode avaliar o momento da sua vida e as condições para trazer uma criança ao mundo ou para um novo lar. 

Em português, só app do Ministério da Saúde

Para quem está acostumada a procurar aplicativos nas lojas do Google Play e na Apple Store, vai estranhar o aplicativo Saúde Sexual e Reprodutiva, desenvolvido pelo Ministério da Saúde. Isso porque é necessário entrar na página de aplicativos no site do Ministério da Saúde para fazer o download do arquivo, encontrá-lo no celular e instalá-lo, de maneira manual, o que não é o caminho comum de instalação de apps.

O aplicativo é fraco de informação, mas tem duas ferramentas úteis. A melhor é a área de controle menstrual. Com algumas informações sobre o seu ciclo, ele indica o seu período fértil e a estimativa de quando você deve menstruar. Outro recurso nesta área é a sessão de comentários, que as usuárias podem adicionar aos dias do calendário.

Leia mais: É possível ficar de boa com a menstruação?

A outra ferramenta útil é um mapa que, com a localização da usuária, identifica e lista todos os postos, hospitais e unidades de saúde do SUS (Sistema Único de Saúde) que estão ao seu redor.

Em termos de conteúdo, o app tem uma nuvem de assuntos sobre saúde sexual e reprodutiva. A usuária pode escolher o que mais lhe interessar dentro de uma variedade grande de temas (são 20). Sexo seguro, violência doméstica, igualdade, direitos sexuais, planejamento reprodutivo. Com esta seleção feita, o aplicativo libera os conteúdos que combinam com cada escolha.

Mas a linguagem dos textos faz do app uma ferramenta pouco informativa para pessoas que buscam conteúdos sobre saúde sexual e reprodutiva. As introduções se repetem, mesmo quando abordam temas diferentes. Até citações acadêmicas estão em alguns textos. Pouco didático para quem quer informações para agir e procurar ajuda.

Apoie AzMina

A Revista AzMina alcança cada vez mais gente, já ganhou prêmios e tem mais de quatro anos de impacto na vida de milhares de mulheres. A gente acredita que o acesso a  informação de qualidade muda o mundo. Por isso, nunca cobraremos pelo conteúdo. Mas o jornalismo sério e responsável que fazemos demanda tempo, dinheiro e trabalho duro – então você deve imaginar por que estamos pedindo sua ajuda.

Quando apoia iniciativas como a nossa, você faz com que gente que não pode pagar pela informação continue tendo acesso a ela. Porque jornalismo independente não existe: ele depende das pessoas que acreditam na importância de uma imprensa plural e livre para um país mais justo e democrático.

Apoie AzMina

Apoie o jornalismo em defesa da mulher