logo AzMina

“E os direitos dos homens?”

Depois de conversar com um defensor dos direitos dos homens, percebemos que ainda há muitas dúvidas sobre o que é feminismo. Respondemos a algumas delas

“Mas e os direitos dos homens?”. “Porque as pessoas não se preocupam em ser ativistas dos direitos do ser humano?”. “Feminismo é algo que toda mulher deveria ser e todo o homem deveria refletir?”. “Feminismo é exatamente a mesma coisa que machismo”.

Esses foram alguns dos comentários do vídeo “Colocamos uma feminista e um ativista dos direitos dos homens pra conversar”, do canal do YouTube Spotniks. A feminista, no caso, é a diretora da Revista AzMina Carolina Oms.

O vídeo bombou e está com quase 2 milhões de visualizações. Mas nos quase 40 mil comentários, percebemos que muita gente ainda tem dúvidas sobre o que é o feminismo e a busca busca pela igualdade de gênero. Pensando nisso, resolvemos responder a alguns comentários para acabar de vez com as dúvidas.

Isso faz parte do esforço que a equipe da Revista AzMina tem feito para dialogar para além da bolha feminista e progressista. Por conta disso, temos ido a programas de televisão e canais do Youtube que atingem um público diferente do da revista.

Quem está na cola do machismo mesmo?

Desde 2015, AzMina está do lado das mulheres e da luta pelos nossos direitos. E, ao nosso lado, nós tivemos muitas leitoras e leitores, que financiam o nosso trabalho e acreditam que jornalismo feminista deve chegar a todos. Graças aos nossos apoiadores, impactamos a vida de milhares de mulheres e produzimos cada vez mais conteúdos e projetos. Nossas reportagens, vídeos, podcasts, campanhas de conscientização e projetos como o PenhaS e o Elas no Congresso são totalmente gratuitos.

Se você valoriza tudo isso, considere fazer uma doação. Junte-se às mais de 500 pessoas que tornam o nosso trabalho possível. A maior parte dos nossos apoiadores contribui com R$ 20 mensais e cada real é importante.

O jornalismo feminista independente é muito essencial à Democracia sempre. Mas no Brasil de 2021, não podemos descuidar nem um dia. Para isso, AzMina depende de você.

APOIE A CONTINUIDADE DESSE TRABALHO HOJE!