logo AzMina

Agenda: evento no Rio discute falta de mulheres na tecnologia

Girls in Tech destacará ideias de cinco brasileiras na área de tecnologia, além de trazer palestra com a criadora do Hotel Urbano

A tenção, meninas do Rio! Tem um evento bem bacana hoje, às 19h, no SENAC do Botafogo. É o terceiro encontro da Girls in Tech, uma iniciativa global que visa conectar mulheres que trabalham com tecnologia e impulsionar suas carreiras.

Este ano, o evento contará com uma palestra de Roberta Antunes, co-fundadora da agência de viagens online Hotel Urbano — que começou em 2011 como uma empresa pequena e acaba de ser vendida a um fundo americano, avaliada em R$2 bilhões. Roberta vai falar, entre outros assuntos, sobre a importância do “growth hacking”, metodologia para fazer empresas crescerem de forma exponencial na Internet.

Se você é uma empreendedora da área da tecnologia, poderá apresentar seu trabalho no evento. Haverá uma rodada de cinco “pitchs”, de um minuto cada. Valem negócios em qualquer etapa de desenvolvimento, da ideia à startup, passando por empreendedoras em busca de sócios e colaboradores. Interessada? É só se inscrever aqui. Se a sua for uma das cinco ideias selecionadas, você se apresentará no palco. Já para quem quer só comparecer ao evento, sem participar dos “pitchs”, o link para inscrição é este aqui. A entrada é franca.

O Girls in Tech foi criado em 2007 pela americana Adriana Gascoine e hoje está presente em 18 países. No Brasil, existe desde 2013.

3º meetup Girls in Tech Rio de Janeiro
Data: 09 de março
Hora: 19 às 22h
Local: Unidade SENAC Botafogo
Endereço: Rua Bambina, 107 (próximo ao metrô de Botafogo e ao Botafogo Praia Shopping).

Somos movidas por uma comunidade forte. Falta você!

AzMina ajudou a revolucionar a cobertura de gênero no jornalismo brasileiro nos últimos 6 anos. Com informação e dados, discutimos temas tabus, fazemos reportagens investigativas e criamos uma comunidade forte de pessoas comprometidas com os direitos das mulheres. Muita coisa mudou nesse meio tempo (feminicídio deixou de ser “crime passional” e “feminista” xingamento), mas as violências contra as mulheres e os retrocessos aos nossos direitos continuam aí.

Nosso trabalho é totalmente independente e gratuito, por isso precisamos do apoio de quem acredita nele. Não importa o valor, faça uma doação hoje e ajude AzMina a continuar produzindo conteúdo feminista que faz a diferença na vida das pessoas. O momento é difícil para o Brasil, mas sem a nossa cobertura, o cenário fica ainda mais tenebroso.

FAÇA PARTE AGORA