logo AzMina

Mapa colaborativo das delegacias da mulher no Brasil

Mapa reúne delegacias da mulher e outros serviços de acolhimento para vítimas de violência
por Helena Bertho
31 de outubro de 2016

Todas as delegacias da mulher presentes no Brasil, conforme informado pelos governos estaduais, podem ser encontradas no mapa abaixo. Se você sofreu violência e busca ajuda, ele conta também com outros serviços de acolhimento à mulher. O levantamento das delegacias foi feito pela Revista AzMina, em 2016, e cedido ao Mapa do Acolhimento

Alguns dados obre as DEAMs fornecidos pelos governos estaduais à reportagem eram falsosEm diversos dos municípios citados como tendo uma Delegacia da Mulher, ela não existe de fato. Em alguns casos, existe no papel; em outros, trata-se apenas de uma pasta em uma delegacia comum, sem nenhum tipo de atendimento diferenciado. 

Caso você saiba que uma das delegacias não existe, informe isso, para que possamos atualizar e criar um mapa real das delegacias da mulher no país. Se a sua cidade tem uma delegacia que não está no mapa, mande um e-mail para mapeamento@mapadoacolhimento.org

Quando procurar uma das delegacias da mulher?

As delegacias da mulher existem para atender vítimas de violência doméstica de acordo com a Lei Maria da Penha. Apesar do nome, a Delegacia da Mulher nem sempre atende qualquer crime que tenha ocorrido contra uma mulher. Em alguns estados, como São Paulo, de fato, investigam toda violação de direitos das mulheres, mas, em outros, as delegacias especializadas focam apenas nos crimes previstos na lei Maria da Penha, como violência doméstica, além de casos de crimes contra a dignidade sexual e feminicídio.

Mas exatamente o que é a violência doméstica? Segundo a Lei Maria da Penha, trata-se de qualquer tipo de ação ou omissão que cause dano físico, psicológico, moral, patrimonial ou sexual à mulher dentro do ambiente doméstico, familiar ou em uma relação íntima de afeto.

*Esta é uma das investigações patrocinadas pelo Programa de Bolsas de Reportagem da Revista AzMina que você ajudou a tornar realidade. Leia a série completa aqui.

 

 

Apoie AzMina

A Revista AzMina alcança cada vez mais gente e já ganhou mais prêmios do que poderíamos sonhar em tão pouco tempo. A gente acredita que o acesso a  informação de qualidade muda o mundo. Por isso, nunca cobraremos pelo conteúdo. Mas o jornalismo investigativo que fazemos demanda tempo, dinheiro e trabalho duro – então você deve imaginar por que estamos pedindo sua ajuda.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que gente que não pode pagar pela informação continue tendo acesso a ela. Porque jornalismo independente não existe: ele depende das pessoas que acreditam na importância de uma imprensa plural e independente para um país mais justo e democrático.

Apoie AzMina

AzMina é uma resposta feminista à desigualdade e ao preconceito