logo AzMina

Se a Constituição estabelece que homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, por que mulheres são obrigadas a esconder os seios? O corpo feminino é inerentemente sexual? Mamilos precisam ser polêmicos, ou será que a polêmica tem a ver com a hiperssexualização do corpo da mulher? Lançada em novembro de 2016, a campanha #mamilolivre levantou essas e outras bolas. A polêmica foi disparada pela youtuber Jout Jout, que lançou a campanha publicando em seu Face o primeiro quarteto de fotos. Quando o Facebook juntava as 4 para formar o álbum elas compunham a imagem de um seio, como em um mosaico. A sacada fez com que a campanha conseguisse burlar a censura do Facebook, e a campanha alcançou milhões de pessoas, tendo tido inclusive repercussão internacional.

Quem está na cola do machismo mesmo?

Desde 2015, AzMina está do lado das mulheres e da luta pelos nossos direitos. E, ao nosso lado, nós tivemos muitas leitoras e leitores, que financiam o nosso trabalho e acreditam que jornalismo feminista deve chegar a todos. Graças aos nossos apoiadores, impactamos a vida de milhares de mulheres e produzimos cada vez mais conteúdos e projetos. Nossas reportagens, vídeos, podcasts, campanhas de conscientização e projetos como o PenhaS e o Elas no Congresso são totalmente gratuitos.

Se você valoriza tudo isso, considere fazer uma doação. Junte-se às mais de 500 pessoas que tornam o nosso trabalho possível. A maior parte dos nossos apoiadores contribui com R$ 20 mensais e cada real é importante.

O jornalismo feminista independente é muito essencial à Democracia sempre. Mas no Brasil de 2021, não podemos descuidar nem um dia. Para isso, AzMina depende de você.

APOIE A CONTINUIDADE DESSE TRABALHO HOJE!