logo AzMina

Se a Constituição estabelece que homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, por que mulheres são obrigadas a esconder os seios? O corpo feminino é inerentemente sexual? Mamilos precisam ser polêmicos, ou será que a polêmica tem a ver com a hiperssexualização do corpo da mulher? Lançada em novembro de 2016, a campanha #mamilolivre levantou essas e outras bolas. A polêmica foi disparada pela youtuber Jout Jout, que lançou a campanha publicando em seu Face o primeiro quarteto de fotos. Quando o Facebook juntava as 4 para formar o álbum elas compunham a imagem de um seio, como em um mosaico. A sacada fez com que a campanha conseguisse burlar a censura do Facebook, e a campanha alcançou milhões de pessoas, tendo tido inclusive repercussão internacional.

Somos movidas por uma comunidade forte. Falta você!

AzMina ajudou a revolucionar a cobertura de gênero no jornalismo brasileiro nos últimos 6 anos. Com informação e dados, discutimos temas tabus, fazemos reportagens investigativas e criamos uma comunidade forte de pessoas comprometidas com os direitos das mulheres. Muita coisa mudou nesse meio tempo (feminicídio deixou de ser “crime passional” e “feminista” xingamento), mas as violências contra as mulheres e os retrocessos aos nossos direitos continuam aí.

Nosso trabalho é totalmente independente e gratuito, por isso precisamos do apoio de quem acredita nele. Não importa o valor, faça uma doação hoje e ajude AzMina a continuar produzindo conteúdo feminista que faz a diferença na vida das pessoas. O momento é difícil para o Brasil, mas sem a nossa cobertura, o cenário fica ainda mais tenebroso.

FAÇA PARTE AGORA