logo AzMina

A assistente virtual Maia (Minha Amiga Inteligência Artificial) tem como objetivo orientar garotas a entenderem se estão em um relacionamento abusivo. A chatbot está disponível na home do site d’AzMina e também na página dedicada ao projeto dentro do site do Ministério Público de São Paulo (MPSP), que desenvolveu a Maia em parceria com a Microsoft.

A Maia conversa com você de forma leve e em tom informativo, apontando os primeiros sinais de quando um relacionamento não é saudável e oferecendo orientações caso esteja passando por algum abuso psicológico ou físico. As dicas incluem desde procurar uma pessoa de confiança para se abrir até buscar ajuda psicológica de um profissional, passando por recomendar ouvidorias e Delegacias de Defesa da Mulher.

Maia, assistente virtual contra relacionamentos abusivos
Esse é o ícone da Maia na home do site d’AzMina (canto inferior direito) e parceiros da iniciativa. Clique nele para iniciar uma conversa

Levantamento do Datafolha de fevereiro de 2019, encomendado pela ONG Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), mostra que nos últimos 12 meses 1,6 milhão de mulheres foram espancadas ou sofreram tentativa de estrangulamento no Brasil, enquanto 22 milhões (37,1%) de brasileiras passaram por algum tipo de assédio. Grande parte dessa violência acontece em casa e envolve pessoas próximas.

A Maia faz parte da campanha #NamoroLegal do MPSP, projeto iniciado em junho de 2019. Idealizada por Valéria Scarance, promotora de Justiça e coordenadora do Núcleo de Gênero do MPSP, a campanha visa a chamar a atenção para um problema social cada vez maior que atinge diversas faixas etárias: a violência contra a mulher. Com a Maia, a ideia é apresentar os primeiros indícios de um relacionamento abusivo e evitar que os casos cheguem ao nível de violência física.

“O relacionamento abusivo começa com atitudes sutis de controle, isolamento e ciúmes, muitas vezes confundidos com atos de amor. Em regra, mulheres não identificam esses atos e acreditam que têm o poder de transformar a pessoa com sua dedicação. Para mulheres adolescentes e jovens, é ainda mais difícil identificar essas relações abusivas. Por isso, criamos a campanha Namoro Legal, com dicas que podem prevenir abusos nessas relações”, explica Valéria Scarance.

Além d’AzMina, a iniciativa é apadrinhada pela Plan International, organização humanitária e de desenvolvimento não governamental e sem fins lucrativos, que promove os direitos das crianças e a igualdade para as meninas, e pelo Girl Up, movimento global da Fundação ONU que treina, inspira e conecta meninas para que sejam líderes pela igualdade de gênero. Todas as entidades parceiras hospedam a Maia em seus respectivos sites.

A Inteligência Artificial entra no projeto como uma aliada para ajudar a esclarecer dúvidas sobre relacionamentos abusivos, fazendo a interação das perguntas feitas pelas usuárias com o conteúdo da cartilha do MPSP sobre relacionamentos abusivos – base que alimenta os diálogos da assistente virtual.

O desenvolvimento da Maia foi feito em parceria com a Elo Group, consultoria especializada em tecnologia, e com a Ilhasoft, empresa focada no desenvolvimento de chatbots e soluções de comunicação – ambas colaboradoras pro bono do projeto. Todo o processo de criação da Maia e a criação de seus diálogos foi verificado pelo AETHER (Comitê de IA e Ética em Engenharia e Pesquisa da Microsoft).

Em suas interações, a Maia não solicitará nenhum tipo de identificação ou dados pessoais para quem interagir com ela. A anonimização das usuárias é uma premissa do projeto, e o conteúdo das conversas não será armazenado. A assistente virtual está hospedada na plataforma de nuvem Microsoft Azure e segue as políticas de privacidade da empresa.

Por que baixar o penhas

Muitas mulheres só percebem que são vítimas de violência depois de se informarem sobre a Lei Maria da Penha ou após lerem os relatos de violências sofridas por outras mulheres. Com o app PenhaS, todas podem ter acesso a informação, ao diálogo, apoio e a uma rede de acolhimento. Tudo em um mesmo espaço.

Conhecimento

Informações sobre direitos das mulheres e um feed de notícias com a colaboração de importantes agências de comunicação.

Caminho para o acolhimento

Mapa das delegacias da mulher de todo o Brasil e serviços de atendimento à mulher que possibilita traçar a rota até o local mais próximo.

Defesa

Qualquer mulher pode baixar o PenhaS e fazer parte da rede de diálogo para que, pela conversa, possa acolher as vítimas.

Dialogo sigiloso

As mulheres em perigo permanecem anônimas e escolhem com quem conversar.

Botao de panico

As vítimas podem escolher até cinco pessoas de sua confiança para acioná-las em caso de urgência.

Producao de provas

No momento exato da violência é possível ativar uma gravação de áudio que capta o som ambiente, criando a oportunidade da vítima produzir provas.

A construcao do aplicativo

O PenhaS foi desenvolvido por meio da escuta de especialistas no tema e de mulheres de diferentes idades, raça e classe social que foram ouvidas em rodas de conversa durante todo o processo de elaboração do app.

Jornalismo independente depende das pessoas que acreditam na importância de uma imprensa plural e livre para um país mais justo e democrático.

Apoie AzMina