Violência patrimonial:  o que é, como ocorre e como denunciar

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER 

Destrói suas coisas? Troca as senhas do banco sem avisar? Não te deixa gastar seu dinheiro como quer?

Tudo isso é violência!

Seta
Seta
Seta

A violência patrimonial acontece quando o outro usa o dinheiro ou bens materiais da mulher para ter controle sobre ela.

Em 2017, no âmbito da violência doméstica, as mulheres representavam até 70% das vítimas dos delitos de natureza patrimonial.

A falta de independência financeira pode fazer com que muitas mulheres fiquem presas em relacionamentos.

Por isso, na hora de terminar um namoro, ou separar depois de anos de casamento, é comum que a violência patrimonial apareça ainda mais.

AzMina já fez  uma matéria sobre  9 coisas importantes para pensar antes de terminar um relacionamento.  Leia aqui.

Mas não só o dinheiro influencia esse tipo  de violência,  a desigualdade  de gênero nas tarefas domésticas também.

Muitos homens acreditam que têm mais direito sobre os bens do casal por terem saído para trabalhar enquanto a mulher cuidava dos filhos

diz a terapeuta Sabrina Costa.

Violência patrimonial é crime e pode ser denunciada com um boletim de ocorrências sobre abuso, preferencialmente em Delegacias da Mulher especializadas.

Históricos de depósitos e transações financeiras que mostram o salário da mulher sendo depositado em uma conta que ela nunca movimenta, podem ser provas usadas.

Desde 2015, também é considerada violência patrimonial o não pagamento da pensão alimentícia – quando não faltam condições econômicas para tanto.

Normalmente a violência patrimonial não vem sozinha

Ela pode estar acompanhada de outros tipos de violências, como as psicológicas.

No PenhaS você tem acesso a informação, acolhimento e ferramentas de pedido de ajuda.