logo AzMina

Prêmio Respeito e Diversidade

O Instituto AzMina venceu as duas modalidades do Prêmio Respeito e Diversidade do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) 2021. Na modalidade sociedade, AzMina ficou em 3° lugar com o PenhaS, nosso app de combate à violência contra a mulher. Na categoria imprensa, a jornalista Júlia de Miranda levou o 2° lugar com a reportagem d’AzMina “Heroínas negras do Brasil: cinco mulheres que todos devem conhecer”.

Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados 2020

Em 2020, o Elas no Congresso, nosso projeto de monitoramento legislativo que conta com uma robô no Twitter, um ranking de parlamentares, newsletters semanais e reportagens especiais, foi vencedor do Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados na categoria Inovação. Os jurados destacaram a importância da transparência metodológica e replicabilidade do projeto.

Troféu Mulher Imprensa 2020

A nossa diretora Carolina Oms venceu por meio de votação popular na categoria “Jornalista Empreendedora” da edição 2020 do prêmio. O Troféu Mulher Imprensa conta com 18 categorias e tem como objetivo divulgar o trabalho das mulheres na comunicação em todo o Brasil e fomentar a pauta dos direitos das mulheres. 

Prêmio Geração Glamour

Em 2018, ganhamos o Prêmio Glamour, da Revista Glamour (Editora Globo), na categoria Agitadoras Digitais. Fomos reconhecidas pelas campanhas de conscientização que mobilizam as mídias sociais, como #CarnavalSemAssédio

Prêmio Synapsis FBH de Jornalismo

A reportagem especial O Mito do Aborto Legal, venceu o Prêmio Synapsis FBH de Jornalismo em 2016. Assinada pela repórter Carolina Vicentin, a reportagem denunciou as dificuldades que as brasileiras enfrentam para ter acesso ao aborto nos casos permitidos em lei.

Leão no Festival de Cannes

Na mais prestigiada premiação do mundo da publicidade, AzMina levou troféus por duas campanhas de consientização. Uma foi a #MaisQue70, que questionava a diferença salarial entre homens e mulheres. Assinada pela J.W. Thompson, contou com a participação das cantoras Tiê, Daniela Mercury e Valesca Popozuda. A outra foi a campanha #VamosMudarOsNúmeros, que levou os dados da desigualdade de gênero para os gramados do futebol estampados nas camisetas dos jogadores do Cruzeiro. A agência New 360 amarrou a parceria entre AzMina e o clube mineiro.