Pedimos muito das nossas leitoras e leitores, sabemos disso. Apoio financeiro, envolvimento nas redes sociais e no site, sugestões de pautas, conselhos… O que seria de nós sem vocês? Um sonho apenas.

Nosso compromisso com a transparência é consequência desses pedidos. AzMina só persiste graças ao financiamento coletivo. Nada mais natural, portanto, que nossas contas, nossos gastos, nossas decisões sobre onde e quando o dinheiro vai ser gasto sejam compartilhados.

Abaixo, você vai encontrar nossas contas detalhadas por trimestre e separadas por categorias para facilitar o entendimento. Mas antes, vamos te contar como foi o ano de 2016 n’AzMina e como 2017 começou.

AzMina surgiu de um financiamento coletivo. Lá em maio de 2015 nosso primeiro crowdfunding serviu para criar nosso site, estrutura burocrática e financiar nossas primeiras reportagens. De maio de 2015 até a primeira metade de 2016, nosso trabalho voluntário e o apoio de leitores foram praticamente a única maneira de manter a revista funcionando.

Na segunda metade de 2016, nosso trabalho de prospecção de apoio de empresas e editais começou a dar frutos, o que nos permitiu ampliar os investimentos em reportagens de qualidade e criar uma nova área dentro d’AzMina, o Educacional.

Por meio de palestras, oficinas, workshops e cursos presenciais e online, AzMina Educacional trata de temas como a violência contra a mulher, abuso sexual de crianças e equidade de gênero no mercado de trabalho. Além disso, uma porcentagem dos valores recebidos de empresas por palestras realizadas pelo Educacional é revertido para financiar reportagens independentes.

Em setembro de 2016, AzMina, em uma parceria com um coletivo social, venceu um edital do MamaCash no valor de R$ 69 mil para desenvolvimento de um aplicativo de enfrentamento à violência contra a mulher. Deste valor, dez mil reais foram destinados para a realização de reportagens e os R$ 59 mil restantes estão totalmente comprometidos com o desenvolvimento e lançamento do aplicativo.

Agradecemos de coração a todas e todos que têm apoiado o feminismo por meio de doações para AzMina. Prometemos seguir fazendo o nosso melhor pra honrar cada centavinho de vocês. E, pra não perder o costume, a gente convida quem ainda não é assinante a se tornar, e quem já é a trazer mais e mais gente pro time.