azm_logo-educacional

AzMina agora conta também com cursos, palestras, workshops e oficinas

Conheça aqui nossas propostas educativas

Edição 3

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O racismo do ônibus de hoje me fez chorar

“Chorei, e torci para que esses jovens não percam de vez a esperança”. Em sua coluna de estreia, Luana Génot conta como se deparou com o racismo em um domingo de sol

AzMina vence Troféu Mulher Imprensa como melhor projeto jornalístico

"Este prêmio vem nos dizer que estamos indo no caminho certo!”, afirma Nana Queiroz, diretora de redação d'AzMina

Aumento da renda está tirando as indianas do mercado de trabalho – entenda a contradição

Se o marido ganha o suficiente para sustentar minimamente a família, é esperado que a esposa deixe o trabalho para ser mãe

Nascem Flores no Asfalto: Capítulo 18: Dilúvio

A luta de mulheres que resistem que seus corpos sejam reduzidos a ferramentas. "A pressão sobre as minhas costelas arrefeceu e pude olhar para cima. Sobre as nossas cabeças, chovia vidro"

‘Estou há três meses limpa: parei de tomar anticoncepcional’

'Tudo são flores nessa minha nova empreitada? Claro que não. Mas parei por querer voltar a entender o meu corpo'

Precisamos ouvir histórias de aborto

Débora Diniz fala sobre sua experiência na campanha ‘Eu vou contar’, que abre espaço para que mulheres contem suas histórias de aborto

Das bonecas ao altar: por que há tantos casamentos infantis entre os ciganos brasileiros

De cada 10 meninas brasileiras, uma estará casada antes dos 15 e três antes dos 18 anos. Comunidade calon é adepta da prática

Quem são as ciganas e como elas vivem?

Ninguém sabe de onde vieram, mas os ciganos chegaram ao Brasil em 1574 e trouxeram consigo uma cultura nômade, colorida e extremamente patriarcal

“Casamento infantil não é cultura, é violência”, afirma ativista cigana

Por defender os direitos das mulheres em sua comunidade, Rebecca Taina perdeu sua identidade perante tradicionalistas

Será que deveríamos fazer uma reportagem sobre casamento infantil cigano?

A boneca de Shanya, ao contrário da minha, já estava prometida pra se casar, aos 13 ou 14 anos, com um menino da vizinhança
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE