logo AzMina

Todo dia é Dia da Mulher: leia um poema inédito e exclusivo de Anna Zêpa

por Bruna Escaleira
9 de março de 2017
'Eu só gosto de homem feminino. Do homem que foi obrigado a usar certas roupas para não provocar abusos', diz a autora natalense

08 de março de 2017

Eu só gosto de homem feminino. Do homem que foi obrigado a cozinhar para a família toda e na hora certa. Do homem que foi obrigado a cuidar da casa. Do homem que foi obrigado a lavar a merda da família.

Eu só gosto de homem feminino. Do homem que teve o rabo comido na infância pelo primo mais velho. Do homem que teve de chupar o pau do tio. Do homem que apanhou do pai porque apareceu em casa namorando.

Eu só gosto de homem feminino. Do homem que foi comido por mais de 30 quando andava por aí exibindo seus músculos sem camisa. Quem mandou?

Eu só gosto de homem feminino. Do homem que foi obrigado a usar certas roupas para não provocar abusos. Do homem que teve o patrão roçando a mão na seu bumbum gostoso enquanto o patrão lhe oferecia aumento.

Eu só gosto de homem feminino. Do homem que teve de criar o filho sozinho porque foi abandonado grávido. Do homem que foi condenado à pena de morte porque traiu a mulher.

Eu, mulher de verdade, só gosto de homem feminino.

(Dedico este texto com amor a Marcelino Freire, mestre e constante fogo literário.)

Anna Zêpa tem 2 livros de poesia publicados pelo Selo DoBurro: Primeiro Corte (2013) e aconvivênciadosnossosrastros (2015). Em 2016 lançou sua primeira publicação em prosa Da perda à pedra a queda é livre através da parceria lusobrasileira entre os selos Demônio Negro e Douda Correria.

Se você é uma escritora ou tem alguma sugestão de autora para apresentarmos, envie e-mail para bruna.escaleira@azmina.com.br e nos conte tudo 😉

* Você sabia que pode reproduzir tudo que AzMina faz gratuitamente no seu site, desde que dê os créditos? Saiba mais aqui.

* As opiniões aqui expressas são da autora ou do autor e não necessariamente refletem as da Revista AzMina. Nosso objetivo é estimular o debate sobre as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Apoie AzMina

AzMina alcança cada vez mais gente e já ganhou mais prêmios do que poderíamos sonhar em tão pouco tempo. A gente acredita que o acesso a  informação de qualidade muda o mundo. Por isso, nunca cobraremos pelo conteúdo da Revista AzMina. Mas o jornalismo investigativo que fazemos demanda tempo, dinheiro e trabalho duro – então você deve imaginar por que estamos pedindo sua ajuda.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que gente que não pode pagar pela informação continue tendo acesso a ela. Porque jornalismo independente não existe: ele depende das pessoas que acreditam na importância de uma imprensa plural e independente para um país mais justo e democrático.

Apoie AzMina

AzMina é uma resposta feminista à desigualdade e ao preconceito