logo AzMina

azm01_programa_03

A recuperação de um estupro retratada no palco
Após ser estuprada, uma mulher tenta se restabelecer, encontrar um jeito de se sentir bem no mundo, um espaço seu. Ela vive a dor do trauma, colocando pra fora a violência que viveu, e nessa experiência, acaba rompendo com a velha lógica patriarcal na qual vivia. Um assunto pesado, mas essencial. Afinal, num país que tem 50 mil casos de estupro por ano, muitas mulheres passam por esse processo. A peça “Alteridade” tem texto de Maria Giulia Pinheiro e direção de Luana Gabanini e é a primeira obra da Companhia e Fúria, que foca em uma estética feminina e na cultura do estupro. O espetáculo estreia em São Paulo e vai buscar meios para circular pelo Brasil.

Alteridade
05 a 27/09 - Sábados, às 21h e domingos, às 20h
Teatro Célia Helena, São Paulo (SP)
Pague quanto puder
por Larissa Ribeiro
9 de setembro de 2015

Apoie AzMina

AzMina alcança cada vez mais gente e já ganhou mais prêmios do que poderíamos sonhar em tão pouco tempo. A gente acredita que o acesso a  informação de qualidade muda o mundo. Por isso, nunca cobraremos pelo conteúdo da Revista AzMina. Mas o jornalismo investigativo que fazemos demanda tempo, dinheiro e trabalho duro – então você deve imaginar por que estamos pedindo sua ajuda.

Quando você apoia iniciativas como a nossa, você faz com que gente que não pode pagar pela informação continue tendo acesso a ela. Porque jornalismo independente não existe: ele depende das pessoas que acreditam na importância de uma imprensa plural e independente para um país mais justo e democrático.

Apoie AzMina