azm_logo-educacional

AzMina agora conta também com cursos, palestras, workshops e oficinas

Conheça aqui nossas propostas educativas

Paula Gil

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Paula Gil

Paula Gil

Nascida e apaixonada pelo Porto, Paula aprendeu cedo a dizer palavrões e a espevitar o nariz. Foi criada por aqui e por ali, entre trambolhões e caminhares, mais ou menos, firmes. Numa breve passagem na infância correu entre a serra, os riachos e o apeadeiro de Coimbra e Lousã. Voltou já crescida à cidade da saudade para estudar política - porque lhe disseram que não podia - e licenciou-se em Relações Internacionais, nos idos de 2007. Deu um saltinho curto ao Reino Unido e saiu de lá com um mestrado em Política Internacional e Estudos de Segurança com um major em Gênero, em 2009. Passou pelo Luxemburgo e nunca mais se cansou de experimentar e arriscar. Começou a trabalhar cedo e não está satisfeita. Esteve envolvida nas várias manifestações, "esse tal salto de cidadania", que irromperam em Portugal desde 2011. Tem opiniões para dar e vender e raramente se coíbe de as dar: "as opiniões são como as vaginas", já dizia o Herman, "e quem quer dá-las, dá-las!". Vive em Lisboa, onde para além da luz, adora as vielas, os bairros e as suas gentes. Faz parte do colectivo Panteras Rosa - Frente de Combate à LesBiGayTransfobia e considera-se Queer.

Em Portugal, lei que permite a casal homossexual ter filhos traz progressos

Antes, mulheres tinham que mentir sobre pai ou até ir para outro país para engravidar por meio de inseminação artificial. Algumas optavam por métodos caseiros

No 8 de Março, não nos calámos! No dia 11 também não!

E nosso mote será este: "Constroem muros, aprendemos a voar", para celebrar as vitórias e para lutar pela igualdade de género

Em Portugal, cresceram disfarces que sexualizam meninas no Carnaval

E, convenhamos, ser menina não é - ou não deveria ser - "coisa sexy". O objectivo final é alimentar uma indústria capitalista, seja ela de beleza dos cosméticos às operações

Receita para um bom “filet mignon” de machismo

Para alguns homens de esquerda, é preferível procurar a igualdade no discurso e em algumas acções, enquanto mantêm secretamente valores não tão igualitários assim

Em Portugal, “fiu-fiu” é crime – mas a lei não pegou

Lei existe há mais de um ano, mas ninguém foi condenado. Faltam denúncias ou falta Justiça para julgar?

Um fado triste: como Portugal piorou no ranking de género no último ano

Somos um país que não admite mulheres na sua história; e as histórias que se contam pregam uma ideologia patriarcal
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE