azm_logo-educacional

AzMina agora conta também com cursos, palestras, workshops e oficinas

Conheça aqui nossas propostas educativas

Paula Gil

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Paula Gil

Paula Gil

Nascida e apaixonada pelo Porto, Paula aprendeu cedo a dizer palavrões e a espevitar o nariz. Foi criada por aqui e por ali, entre trambolhões e caminhares, mais ou menos, firmes. Numa breve passagem na infância correu entre a serra, os riachos e o apeadeiro de Coimbra e Lousã. Voltou já crescida à cidade da saudade para estudar política - porque lhe disseram que não podia - e licenciou-se em Relações Internacionais, nos idos de 2007. Deu um saltinho curto ao Reino Unido e saiu de lá com um mestrado em Política Internacional e Estudos de Segurança com um major em Gênero, em 2009. Passou pelo Luxemburgo e nunca mais se cansou de experimentar e arriscar. Começou a trabalhar cedo e não está satisfeita. Esteve envolvida nas várias manifestações, "esse tal salto de cidadania", que irromperam em Portugal desde 2011. Tem opiniões para dar e vender e raramente se coíbe de as dar: "as opiniões são como as vaginas", já dizia o Herman, "e quem quer dá-las, dá-las!". Vive em Lisboa, onde para além da luz, adora as vielas, os bairros e as suas gentes. Faz parte do colectivo Panteras Rosa - Frente de Combate à LesBiGayTransfobia e considera-se Queer.

Receita para um bom “filet mignon” de machismo

Para alguns homens de esquerda, é preferível procurar a igualdade no discurso e em algumas acções, enquanto mantêm secretamente valores não tão igualitários assim

Em Portugal, “fiu-fiu” é crime – mas a lei não pegou

Lei existe há mais de um ano, mas ninguém foi condenado. Faltam denúncias ou falta Justiça para julgar?

Um fado triste: como Portugal piorou no ranking de género no último ano

Somos um país que não admite mulheres na sua história; e as histórias que se contam pregam uma ideologia patriarcal
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE