azm_logo-educacional

AzMina agora conta também com cursos, palestras, workshops e oficinas

Conheça aqui nossas propostas educativas

Nana Queiroz

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Nana Queiroz

Nana Queiroz

Diretora de Redação
A Nana é jornalista e escritora. Escreveu os livros "Você já é feminista: abra este livro e descubra o porquê" e “Presos que Menstruam”, além de roteirista do filme de mesmo nome que está em produção (e querendo virar série). Ela também é criadora do protesto Eu Não Mereço Ser Estuprada. Entrou nas listas de mulheres mais destacadas de 2014 do UOL, Brasil Post e do think tank feminista Think Olga. Foi finalista do Troféu Mulher Imprensa 2016. Como jornalista, trabalhou nas revistas Época, Galileu, Criativa e Veja, além dos jornais Correio Braziliense e Metro. No ativismo, foi media campaigner da Avaaz. É bacharel em jornalismo pela USP e especialista em Relações Internacionais pela UnB. Siga a Nana em: www.facebook.com/nana.queiroz

#HomãodaPorra: elogio ajuda ou atrapalha o feminismo?

Da porta pra fora, a luta contra o machismo é política. Mas, dentro de casa, neurociência e pedagogia podem nos ajudar

5 lições de feminismo desta temporada de Game of Thrones

Atenção: a lista a seguir contém spoilers caso você não tenha visto toda a temporada 7 da série da HBO

Indígenas denunciam casos de assédio sexual no SUS

Uma das funcionárias do Distrito Sanitário Especial Indígena afirma que foi coagida ao sexo sob ameaças de perder o emprego. Advogada acusa coordenador de acobertar casos

Chegou o teste de HIV de farmácia: veja cuidados a tomar antes de fazê-lo

Em geral, especialistas vêem o teste com simpatia, mas têm muitas ressalvas para que ele tenha um bom uso social

Das bonecas ao altar: por que há tantos casamentos infantis entre os ciganos brasileiros

De cada 10 meninas brasileiras, uma estará casada antes dos 15 e três antes dos 18 anos. Comunidade calon é adepta da prática

Quem são as ciganas e como elas vivem?

Ninguém sabe de onde vieram, mas os ciganos chegaram ao Brasil em 1574 e trouxeram consigo uma cultura nômade, colorida e extremamente patriarcal

“Casamento infantil não é cultura, é violência”, afirma ativista cigana

Por defender os direitos das mulheres em sua comunidade, Rebecca Taina perdeu sua identidade perante tradicionalistas

Será que deveríamos fazer uma reportagem sobre casamento infantil cigano?

A boneca de Shanya, ao contrário da minha, já estava prometida pra se casar, aos 13 ou 14 anos, com um menino da vizinhança

Brief history of prostitution: from the sacred hooker to the vicious sinner

Unlike what’s imagined, prostitution was born way before patriarchal societies - and even before male chauvinism

Why do men pay for sex?

191 prostitute clients were interviewed to find out - despite prohibitions and moral barriers - how the request for sexual services is always in a high demand.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE