Foto: Pixabay.com

Na coluna anterior, falamos sobre a importância de escutar nosso corpo e sobre como essa prática nos conecta com sinais que podem, de fato, salvar nossa vida emocional, física e espiritual.

As práticas de autocuidado são inúmeras. Aqui vamos começar a explorar algumas formas pra que possamos conhecer e desmistificar atividades que muitas vezes achamos que não sejam pra nós.

Eu sempre fui uma pessoa muito física. Adoro atividades que me fazem mover o corpo. Bailarina desde muito cedo, entendi que, quando me mexo, sou feliz. 

O autocuidado tem muito mais a ver com a nossa felicidade do que com uma prática zen, tranquilizante ou calmante. Na verdade é tudo junto, mas aqui vamos falar sobre um pouco de tudo separadamente e assim ter uma ideia  das milhares de formas que nos levam a um só lugar: o vale do bem-estar.

Quando comecei com esta busca, pensei bem: o que me faz feliz

Tenho amigas que amam atividades radicais, que fazem luta, que praticam atividades que requerem força física e destreza. Tenho amigas que escrevem todos os dias, meditam todos os dias, fazem rituais e estudam formas de se conhecer melhor por meio de terapias etc.

Eu pratico pole dance e ioga

O pole é um esporte que fortalece todo o corpo e traz muita consciência corporal. Fizemos uma reportagem em vídeo sobre os benefícios dele que você assiste aqui.

Já a ioga é uma atividade que tem me guiado em uma viagem muito linda pra dentro de mim.

Este mês quero falar um pouco sobre a prática. Uma prática que eu considero muito completa, pois trabalha os três níveis de existência. Física, mental e espiritual. 

“Ioga é a eliminação das instabilidades da mente”, diz o texto Yoga Sutra de Patanjali. Ou seja, a dos pensamentos compulsivos. Nesse sentido, nada tem a ver com religião, ginástica ou terapia: ioga é uma filosofia prática. E, segundo esse sistema filosófico, não é possível atingir boa saúde física e mental sem a aquisição de estados mais profundos de concentração.

Ioga acaba sendo sempre mais do que as palavras podem dizer. Não inclui a crença em nenhum poder sobrenatural, nem exige fé religiosa. Muita gente já ouviu dizer que ioga significa em sânscrito união, mas igualmente significa trabalho, aplicação. Ou seja, ioga seria o meio e o fim ao mesmo tempo. Está escrito na Bhagavad Gítá: ‘Ioga é perfeição em todas as ações’.  Perfeição aqui significa arte de viver consciente.

Com essa prática, existe um despertar muito forte e a escuta dos sinais sutis é desenvolvida com muita precisão. O que nos ajuda muito com a experiência do autocuidado.

Em março de 2017 o Ministério da Saúde anunciou no Diário Oficial da União que incluiu 14 novas terapias alternativas na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC). Em janeiro, o ministério havia anunciado que esses procedimentos seriam oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O que demonstra que cada vez mais estamos nos aproximando de um entendimento onde tratar doenças não é o foco principal.  

Saúde é prevenção. Prevenção é consciência. Consciência é autocuidado. 

Através da ioga eu fortaleço minha musculatura, trabalho minha respiração, ganho flexibilidade, compreendo meu corpo, me sinto energizada, sou paciente comigo mesma, separo um tempo pra mim, entro em estado meditativo, relaxo, me sinto feliz…mesmo!

Eu levo uma vida muito corrida. Viajo muito. Agora por exemplo acabo de chegar no Brasil após uma temporada de três meses onde fui pra Nova York, Tel Aviv, Rio, São Paulo, Jakarta e Bali. Não tenho rotina. Faço tudo ao mesmo tempo. Corro atrás, passo horas em avião, não consigo me alimentar com regularidade nesses deslocamentos…ou seja…autocuidado é essencial na minha vida.

O mais legal da ioga é que eu não preciso de nada pra praticar, só do meu corpo. E além disso existe uma comunidade global que me inspira e me dá suporte onde estiver.

Como já pratico há mais de cinco anos, tenho algumas sequências que posso simplesmente fazer em qualquer lugar. Existem inclusive alguns aeroportos que têm salas de ioga pros viajantes que estiverem em trânsito e precisam se mexer depois de longas horas sentados no avião.

Sempre tem a opção de fazer uma aula no estúdio mais próximo de você. E, em todas as cidades que já visitei, tem um lugar onde posso praticar. Ou seja, não tenho desculpas pra não fazer

Existem muitas vertentes. Umas mais suaves e restaurativas como a Hatha e Iyengar. Outras mais dinâmicas e que fazem suar muito como a Vinyasa e Ashtanga. E até ioga tântrica, que ativa a energia sexual por meio de exercícios de respiração e posturas que estimulam o orgasmo.

Pesquisadores da Universidade de Duisburg-Essen, Alemanha, e da Universidade de Nova York, em 2005, observaram em mulheres estressadas alterações positivas em consequência da prática de exercícios respiratórios da ioga (Pránayáma) e posturas (Ásana) durante três meses. Para avaliá-las, os pesquisadores utilizaram testes psicológicos como a Escala Cohen de Stress Percebido, Inventário Estado-Traço de Ansiedade (STAI), Perfil de Estados de Humor (POMS), Escala CEDS de Depressão e até níveis salivares de cortisol. 

Algumas mulheres acreditam erradamente que a prática da ioga durante a gravidez pode conduzir ao aborto. É um grande equívoco, pois, com a prática regular das Asanas (posturas psico-físicas), o útero torna-se mais forte, possibilitando uma gravidez mais segura e uma entrega maior por parte da gestante.

Na realidade, todo este trabalho relacionado com a gravidez, segura e saudável, começa muito tempo antes de a mulher engravidar. Se o trabalho de fortalecimento e prevenção for feito regularmente, ajudará a futura mãe a ser forte no período da gravidez. 

Ioga é uma das atividades que eu pratico que mais me ajudam a me conhecer melhor. No próximo post, vamos falar de uma outra prática que ajuda muito a centrar a atenção, focar em nós mesmas e está integrada com a ioga. A meditação.

Descobrir a potência que temos através de práticas como a ioga só nos faz mais fortes e confiantes pra encarar as dificuldades do dia a dia com mais clareza, determinação e resiliência. Sem contar que melhora o humor, relaxa, traz paz e pode até provocar um delicioso orgasmo.

Queremos saber de vocês quais as práticas de auto cuidado que praticam…contem pra gente no Facebook, assim podemos incluir elas aqui nos posts da Tenda Vermelha.

Beijos e até breve,

Luna

 

* As opiniões aqui expressas são da autora ou do autor e não necessariamente refletem as da Revista AzMina. Nosso objetivo é estimular o debate sobre as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

**Você sabia que pode reproduzir tudo que AzMina faz gratuitamente no seu site, desde que dê os créditos? Saiba mais aqui.