Q ue ano foi 2015, minas! Fizemos uma peneira feminista das notícias que mais bombaram no Brasil e no mundo. Vem relembrar esses momentos gostosos com a gente.

JANEIRO

tumblr_nmiu33IuI31u8ntcpo1_500

  • Mulheres cariocas fazem um “toplessaço” em Ipanema para defender que a prática seja vista como natural.
  • Governo federal lança primeira Casa da Mulher, em Campo Grande. O espaço reúne serviços especializados de atendimento a mulheres em situação de violência.
  • ONU lança a campanha “He for She”, que faz um apelo para que homens também se envolvam no combate à discriminação contra a mulher. A atriz Emma Watson, embaixadora da campanha, discursa no Forum Econômico Mundial e passa a receber ameaças.

FEVEREIRO

15042376

Pri Ferrari e Mila Alves – Reprodução

  • Skol faz campanha publicitária de carnaval com a frase “esqueci o não em casa”. Pri Ferrari e Mila Alves fazem uma intervenção nos anúncios em um ponto de ônibus — e bombam nas redes sociais. A marca de cerveja altera os comerciais.
  • No Rio de Janeiro, a jornalista Renata de Carvalho cria o Bloco das Mulheres Rodadas, depois que um meme com a frase “não mereço mulher rodada” viraliza no Facebook. Mais de 2 mil foliões se juntam ao bloco para defender a liberdade sexual da mulher.
  • Atrizes de Hollywood criam a campanha #AskHerMore, para pedir aos jornalistas que não façam apenas perguntas sobre beleza e roupas para as atrizes presentes na cerimônia do Oscar.
  • Patricia Arquette ganha o Oscar de melhor atriz coadjuvante por seu papel em Boyhood e aproveita o discurso para defender igualdade salarial para as mulheres em Hollywood.
  • Universidade de São Paulo distribui cartilha produzida pela Marcha Mundial das Mulheres junto ao kit de boas-vindas aos calouros. O material fornece número de telefones de apoio contra agressões, além de informações sobre coletivos feministas dentro dos campi.
  • A jornalista Ana Freitas publica um texto no Brasil Post sobre a misoginia em foruns e chats brasileiros. Com a repercussão, ela passa a receber ameaças e presentes assustadores pelo correio.
  • A vlogueira Jout Jout Prazer viraliza com o vídeo “Não Tira o Batom Vermelho”, sobre relacionamentos abusivos.
  • Projetos de Orgulho Hetero voltam a tramitar na Câmara, entre eles um de autoria do presidente da casa, Eduardo Cunha.
  • Leia mais: os 10 melhores filmes e séries feministas de 2015

MARÇO

monica

  • Marvel anuncia que a nova versão de sua HQ Thor, com uma mulher como protagonista, está vendendo mais do que a versão original – são cerca de 20 mil exemplares a mais vendidos por mês.
  • Dilma sanciona lei que transforma o assassinato de mulheres no âmbito familiar em crime hediondo. O Brasil está entre os países com maior índice de assassinatos de mulheres no mundo, ocupando a sétima posição em um ranking com 84 países.
  • Organização International do Trabalho divulga pesquisa que aponta que serão precisos 70 anos para alcançar igualdade salarial entre homens e mulheres.
  • Levantamento da consultoria Grant Thornton aponta que cresceu o número de empresas brasileiras sem mulheres no alto escalão. Mais da metade (57%) das empresas brasileiras não têm nenhuma mulher nos cargos de diretoria, vice-presidência, presidência e conselho de administração.
  • Risqué lança coleção de esmaltes chamada “Homens que amamos”, aplaudindo ações como “ligar no dia seguinte”e “fazer o jantar”. Mulheres reprovam a campanha nas redes sociais.
  • Monica Lewinsky faz discurso em TEDTalk falando sobre o julgamento machista que sofreu ao se relacionar com o ex-presidente dos EUA Bill Clinton. Ela inicia uma campanha contra o cyberbullying.

ABRIL

tumblr_nncdm7vTDe1ttmvcco1_500

  • Caitlyn Jenner, do reality show Keeping Up with the Kardashians, anuncia que é transgênero e abandona o nome Bruce Jenner.
  • Dezenas de mulheres vão a público para denunciar o comediante americano Bill Cosby por estupro e assédio sexual.
  • Atriz Meryl Streep financia laboratório de mulheres roteiristas, para combater a queda no número de mulheres roteiristas em Hollywood, que já é pequeno – 17%.
  • 10 celebridades que se declararam feministas em 2015

MAIO

furiosa

Charlize Theron arrasou como Furiosa em Mad Max – Divulgação

  • Começa o crowdfunding para tornar a revista AzMina uma realidade! Personalidades como Eliane Brum, Laerte, Jean Wyllys, Marcia Tiburi e Gregorio Duvivier apoiam o projeto nas redes sociais.
  • Masculinistas propõem boicote ao filme Mad Max, que tem Charlize Theron como protagonista e é classificado por muitos críticos como um filme feminista.

JUNHO

17.06.15-_Parada-Gay

  • Itens sobre diversidade sexual e igualdade de gênero são retirados de diversos planos municipais de educação. Políticos religiosos lideraram o movimento pela exclusão dos parágrafos sobre o assunto.
  • ONG holandesa Women on Waves envia drone para jogar pílulas abortivas na Polônia, um dos poucos países da União Europeia que ainda não legalizaram o aborto.
  • A filósofa Marcia Tiburi dá início a uma série de reuniões pelo Brasil para discutir a fundação do #PartidA, um partido feminista.
  • Marca de analgésicos Novalfem faz campanha publicitária chamando cólica de “mimimi”. Após protestos nas redes sociais, comercial é retirado do ar.
  • Suprema Corte dos EUA legaliza o casamento gay.
  • O bioquímico Tim Hunt, ganhador do prêmio Nobel, declara durante conferência que seu “problema” com as mulheres é que “três coisas acontecem quando elas estão no laboratório. Você se apaixona por elas, elas se apaixonam por você e, quando você as critica, elas choram”. Mulheres cientistas do mundo todo usam as redes sociais para respondê-lo. Com a hashtag #distratinglysexy, elas publicam fotos de como são super sensuais (só que não) no laboratório.
  • Viviany Beleboni faz performance crucificada na parada gay de São Paulo, para chamar atenção para as violências sofridas pela população transgênero. Brasil é o país que mais mata travestis e trangêneros no mundo, segundo levantamento da ONG Transgender Europe.
  • ONU traz a campanha #HeforShe para o Brasil, com a hashtag #ElesporElas

JULHO

11896079_10206479074911653_4356768994480422323_n

  • Adesivos que retratam a presidente Dilma Roussef de pernas abertas, vendidos no Mercado Livre e feitos para serem colados no tanque do carro, viram moda. A colunista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo, apura que a criadora dos adesivos é uma mulher.
  • Acontece em São Paulo a primeira Virada Feminista, organizada pela Sempreviva Organização Feminista (SOF). O evento contou com 24 horas de shows, oficinas culturais e apresentações musicais e teatrais.
  • Nana Queiroz, diretora executiva da revista AzMina, lança o livro “Presos que Menstruam”, sobre a situação dos presídios femininos brasileiros. O livro inspira campanhas para doação de absorventes e outros materiais de higiene para as presas.
  • Biblioteca de Guaianazes, na periferia de São Paulo, inaugura primeira sala dedicada exclusivamente a livros feministas.
  • Atriz americana Lenna Durnham lança a newsletter feminista “Lenny”.
  • Leia mais: Sete sonhos para o feminismo de internet em 2016

AGOSTO

  • Carol Rossetti lança o livro “Mulheres”, com as ilustrações que a tornaram conhecida na web.
  • Kiran Ghandi corre a maratona de Londres menstruada, sem absorvente. Ela fez isso porque não se sentia confortável correndo de absorvente e também para quebrar o tabu da sociedade em relação à menstruação.
  • Maria Clara Araújo se torna a primeira mulher trans brasileira a estrelar uma campanha publicitária de produtos de beleza, para a marca Lola Cosmetics.
  • Revista Capitolina lança livro.
  • Em uma propaganda da marca Bombril, Ivete Sangalo, Mônica Iozzi e Dani Calabresa dizem que, quando o assunto é a limpeza da casa, “toda mulher é uma diva e todo homem é devagar”. A peça é massivamente denunciada ao Conar, mas por um motivo surpreendente: ela é acusada de discriminar… Os homens!
  • Nadadora Joanna Maranhão declara em entrevista à revista TPM ter sido vítima de abuso sexual na infância. “Falar é uma libertação, a cada vez que falo me liberto mais”, diz ela.
  • Jornalista Babi Souza cria a página de Facebook “Vamos Juntas?”, que propõe às mulheres andarem juntas pela cidade, para se sentir mais seguras. A página conquista mais de 90 mil curtidas em 2 semanas.

12360011_725853814215227_6661891591314397899_n

SETEMBRO

xTiTnCnf4NCKkjHLqw

  • Estreia a primeira edição da revista AzMina com patrocínio inteiramente via crowdfunding!
  • TSE aprova registro do Partido da Mulher Brasileira. A notícia pega as feministas de surpresa: quem estaria por trás desse partido? A iniciativa é da comerciária carioca Suêd Haidar, que vendeu as cinco lojas que possuía para fundar o partido. Ela declarou que o partido não é feminista. Apesar do programa partidário alegar ter a intenção de “aumentar a participação das mulheres em todos os setores da sociedade”, até a edição dessa retrospectiva, a bancada da legenda possuía apenas duas mulheres – e nenhuma delas foi escolhida líder.
  • Pirelli anuncia que, em 2015, seu famoso calendário irá trocar as modelos por “mulheres inspiradoras”.
  • Viola Davis se torna a primeira mulher negra a ganhar um prêmio Emmy

OUTUBRO

cunha

  • Revista Playboy americana anuncia que deixará de publicar fotos de mulheres nuas em suas páginas, devido à concorrência com a pornografia online.
  • É aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara o projeto de lei 5069, de autoria de Eduardo Cunha, que reduz os direitos das mulheres vítimas de estupro. Caso aprovado, o projeto exigirá “comprovação do estupro” mediante exame de corpo de delito para que a mulher tenha acesso ao aborto legal. O PL também pune com até três anos de prisão qualquer pessoa que “instigar, aconselhar ou ajudar” uma mulher a abortar. Por fim, o projeto defende que nenhum profissional de saúde poderá ser obrigado a “aconselhar, receitar ou administrar procedimento ou medicamento que considere abortivo”. Este trecho abre a possibilidade de restrições ao acesso à pílula do dia seguinte, que não é abortiva, mas é erronamente considerada como tal por pessoas desinformadas.
  • Milhares de mulheres tomam as ruas de diversas cidades brasileiras para protestar contra o PL 5069.
  • Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) traz questão sobre Simone de Beauvoir e redação sobre violência contra a mulher.
  • Rio de Janeiro registra primeira união estável entre três mulheres. Este é o segundo trio a declarar oficialmente sua relação. O primeiro, composto por um homem e duas mulheres, é de Tupã, interior de São Paulo, e fez isso em 2012.
  • Estreia o filme Suffragette, com Meryl Streep, Helena Bonham Carter e Carey Mulligan, sobre a luta das mulheres americanas pelo direito ao voto.
  • Justiça determina que lei Maria da Penha seja aplicada também para a mulher trans.
  • Atriz Jennifer Lawrence publica texto sobre como se sentiu ao descobrir que seu cachê foi bem menor do que o de seus colegas homens no filme “Trapaça”.
  • Internautas fazem comentários de cunho sexual sobre Valentina, participante do programa de TV Master Chef Junior. Em resposta , o think tank feminista Think Olga lança a campanha #primeiroassedio, que motivou milhares de mulheres a compartilhar a história da primeira vez que foram assediadas ou abusadas. O Think Olga fez um levantamento com todos os relatos utilizando a hashtag e constatou que a idade média do primeiro abuso é 9 anos.
  • 2015, o ano das hashtags feministas

NOVEMBRO

Cena de O Olmo e a Gaivota - Divulgação

Cena de O Olmo e a Gaivota – Divulgação

  • Manoela Miklos cria a campanha #agoraéquesãoelas, na qual colunistas homens cedem espaço para mulheres escreverem. A iniciativa visa chamar atenção para a falta de visibilidade da voz feminina na mídia.
  • Feminismo se torna matéria obrigatória nas escolas australianas.
  • Ocorre em Brasília a Marcha das Mulheres Negras, para chamar atenção para o fato de que as negras são as mulheres que mais sofrem discriminações no Brasil. A manifestação cruzou com militantes do movimento pró-impeachment que acampavam em frente ao Congresso. A polícia reprimiu fortemente as mulheres negras.
  • Cineasta Petra Costa lança vídeo questionando a legislação brasileira sobre aborto, para promover o lançamento de seu filme O Olmo e a Gaivota. O vídeo é alvo de protestos e uma campanha massiva de “dislikes” no YouTube.
  • Redes sociais são dominadas pela hashtag #meuamigosecreto, na qual mulheres denunciam comportamentos machistas de pessoas que elas conhecem.
  • Estudantes ocupam mais de 90 escolas paulistas para protestar contra o plano de reorganização escolar do governo estadual. A participação feminina no movimento é marcante.
  • 12 vídeos que nos inspiraram em 2015

DEZEMBRO

chimamanda

  • Livro “Sejamos todos feministas”, de Chimamanda Adichie, é distribuído a todos os jovens com mais de 16 anos na Suécia.
  • Ator pornô James Deen, considerado feminista por alguns, é acusado de estupro por várias ex-namoradas, inclusive a famosa atriz pornô Stoya.
  • Arábia Saudita tem primeiras eleições municipais nas quais mulheres podem ser eleitas. 13 mulheres obtêm cargos nesse pleito.
  • Disque 180 anuncia que as denúncias de violência contra a mulher aumentaram 40% entre janeiro e outubro de 2015, em relação ao mesmo período do ano anterior.
  • Pesquisa do Instituto Avon revela que 7% dos universitários brasileiros não consideram abusar de garota bêbada uma forma de violência. De acordo com a mesma pesquisa, 56% das universitárias afirmam já ter sofrido assédio sexual.