O conceito por trás do armário capsula é simples: manter um mínimo de peças no armário e aprender a combiná-las de formas variadas para montar visuais originais. Na verdade, uma ideia que todo mundo de orçamento apertado já conhecia há anos, mas que muita gente não colocava em prática até a coisa ganhar um nome descolado, um método pra ser realizado e cair nas graças de blogueiras famosas.

Foi uma estrela da blogosfera americana, Carolina, quem lançou a moda. Ela ganhou seguidoras mundo afora e chegou ao Brasil quando Gabi Barbosa, responsável pelo blog Teoria Criativa, comprou o desafio. “Eu sempre admirei o conceito minimalista, mas nunca conseguia introduzi-lo na minha vida porque achava que era muito radical. Mas quando conheci o armário-cápsula percebi que ele era um método plausível, possível”, conta Gabi.

Sim, existe um método e regras para tornar o armário cápsula mais fácil de se realizar sem que você fique com poucas opções de looks ou se perca na hora da escolha. As blogueiras não brincam em serviço: criaram até um planejador (que a Gabi traduziu para o português e pode ser baixado aqui para ajudar a fazer as escolhas do que fica e do que sai do armário.

Mas o legal da ideia é que ela vai além de uma mudança no jeito de organizar suas roupas: nos faz repensar a forma como consumimos moda. Gabi, por exemplo, acha que houve uma mudança em como ela se enxerga e em como se relaciona com o mundo. “Se tivermos no armário as poucas roupas que amamos, ficamos mais confiantes e seguras conosco. Hoje, valorizo muito mais meu dinheiro e limito o meu consumo a peças que realmente quero. Isso faz um bem danado para a nossa autoestima e deixa a nossa consciência bem mais leve”.

Seu armário cápsula fez tanto sucesso que acabou virando um grupo no Facebook, onde várias mulheres que aderiram à ideia compartilham seus looks e dúvidas e se ajudam nesse trabalho de desapego.

A funcionária pública Gardenya Barbosa sempre visita a página. Ela conheceu o armário cápsula por acaso e percebeu que precisava aderir a ele urgentemente. “Eu me auto diagnostiquei como compradora compulsiva”, confessa Gardenya. “Cheguei ao ponto de acumular tinha dívidas em lojas de roupas – eu devia, em parcelas, três vezes mais do que meu salário mensal – e isso me deixou bem depressiva. Eu tinha que parar de comprar e tentar manter o foco!”.

Ela então usou o planejador para fazer a limpa no armário. Enxugou bem (tirou três sacos de roupa com capacidade para 100 litros cada!) até sobrarem apenas 40 peças. Tudo foi doado ou vendido – vai, um pouquinho ficou armazenado para outras estações. “Não é fácil, ainda mais se você for consumista como eu, mas é um aprendizado único e inesquecível”, conta ela que está controlando seu consumismo muito bem, sem perder o estilo.

Gostou da ideia e está considerando fazer o seu armário cápsula?

Entenda o método:

Escolha apenas 37 peças, entre calças, saias, blusas, vestidos, casacos e sapatos. Você decide o que fazer com o resto, pode doar ou vender, mas vale também guardar peças para outras estações.
Meias, calcinhas e acessórios não entram na conta!
Use o planejador da Gabi para entender seu estilo e como as suas roupas combinam. Isso ajuda a escolher o que fica e o que sai.
Faça sua seleçáo pensando nas combinações entre peças.
A cada três meses, na mudança de estação, reformule seu armário cápsula com as peças que havia guardado. Assim você não enjoa das roupas.
E lembre-se: não é permitido comprar roupas novas durante esses três meses!
Com só 37 peças, Gabi variou (e muito) seu visual!

Com só 37 peças, Gabi variou (e muito) seu visual!