Menina não pode

Com essa tirinha, Lívia Carvalho nos mandou uma reflexão, que compartilhamos com vocês:

“Arrancam-lhes os dentes, em algumas tribos esquimós; o sexo e a memória, em culturas contemporâneas ocidentais (até que nem sequer se lembrem que não precisam do homem pra sobreviver na selva). Assim escravizamos nossos cães. Também da mulher tiramos a memória de si mesma; mentimos de maneira organizada sobre sua origem e sua natureza – e ainda ordenamos que acreditem! Também da mulher tiramos o sexo; em algumas sociedades africanas, de forma concreta e literal; em outras, auto-proclamadas sofisticadas, no campo simbólico: não pode gozar. Também da mulher tiramos os dentes, o direito sagrado à violência: uma mulher brava que ladra, não é uma mulher boa. Aprenderá seu lugar, se resolver ladrar.”