As mulheres que mudaram o mundo também deixaram suas marcas na moda. Aqui escolhemos quatro inesquecíveis que podem influenciar o seu estilo ainda hoje.

Cleópatra

Difícil pensar em mulheres poderosas sem que seu nome venha à cabeça. A diva assumiu o cargo de rainha do Egito aos 17 anos e, de cara, foi reconhecida por suas qualidades como estadista. Era uma das mulheres mais cultas de sua época, dominando o egípcio, o árabe, o persa, o aramaico, o etíope e o somali, além de suas línguas maternas. Sua beleza e talento político alimentam até hoje lendas e histórias.

Neste ensaio, deixamos história e lenda se misturarem. Na maquiagem, olhos marcados e expressivos. Nos adereços, abusamos do dourado e dos maxi colares e brincos.

Dandara dos Palmares

Se há mulheres injustiçadas na História do Brasil, Dandara deve liderar o topo da lista. Os livros e museus só lembram de seu companheiro na liderança do Quilombo dos Palmares, Zumbi. Mas as lendas sobre seu caráter forte, seu domínio da capoeira e sua coragem ao lado de Zumbi permanecem vivos para nós. Mulher que não se dobrava, preferiu o suicídio a ser escravizada novamente.

Fizemos um exercício de imaginação. Como se vestiria uma mulher que, como ela, se orgulha de sua cor, beleza e origens e não tem medo de lutar até o fim pelo que acredita?

Frida Kahlo

Frida Kahlo não marcou apenas as artes plásticas do México e do mundo, mas também foi sempre um sucesso de moda. Em vida, foi até inspiração para as páginas da revista Vogue. A condição feminina, o socialismo e as tradições de seu país eram temas constantes em sua arte e em sua forma de se vestir.

Seu estilo pode servir como inspiração para utilizarmos o que temos de melhor em casa e em nós. Vale apostar nos chales, nas tranças, nas estampas de cores gritantes e alegres, florais, colares de crucifixo e estampas de caveiras, além de confiar em sua beleza natural e não alterar as características do seu rosto. Quem sabe a Frida não é a força que faltava para te convencer a abandonar a pinça?

Christine Jorgensen

Se já mulheres são pouco celebradas pela história, imagine então as injustiças que são feitas com as que são trans? Mas Christine não teve medo de atrair os holofotes para si e reclamar o direito de mudar de sexo. Nos Estados Unidos, ela foi a primeira mulher a fazer a cirurgia de alteração e fez questão de tornar isso público.

Difícil estar mais na moda do que ela está hoje. Seu estilo retrô dos anos 50, com blusas sociais de botão, pérolas, colares por cima da camisa e saias longas é clássico.

Expediente

Roupas e acessórios: Loja Le Folk  – contato@lefolk.com.br
Modelos: Anna Valentina Lobato (Christine), Camila Camanzi (Frida), Thaline Araújo (Cleópatra) e Bárbara Egídio (Dandara)
Fotógrafo: João Viegas
Maquiagem: Linda Paulino
Agradecimentos: Clarissa de Souza Borba, Lucilene Pereira, Mariana Cabral e Marjorie Lessa