PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
  • beth_nfl_capa

Mulher assume narração de futebol dos EUA e enfrenta enxurrada de comentários machistas

Por ~dibradorasÉ a primeira vez em 30 anos que uma jornalista fica à frente da transmissão da liga de futebol americano.
  • C2jSw9KUkAEv9TA

Precisamos falar sobre aborto – mas não do jeito que você está pensando

Por Letícia BahiaO que aprendi trabalhando para a safe2choose, organização que oferece abortos seguros em diversos países.
  • zenpqno-1

Estamos abertos à diversidade de pepecas?

Por Equipe AzMinaA coluna da Mari Zen no YouTube fala sobre vagina. "A gente não fala sobre ela, o nome dela, não olha pra ela e não toca. Que relação estranha temos com a vagina né?".
  • diva_aborto_capa

Eu fiz um aborto: ‘Nunca me senti tão só’

Por Equipe AzMina'Foram três dolorosas tentativas até que eu conseguisse interromper a gestação. Depois de tudo que passei penso que a escolha do aborto também exige coragem'.
  • promo_mulher_FotoNubiaAbe2

Linn da Quebrada lança novo álbum: “Produzir música é construir pontes”

Por Equipe AzMinaBixa, trans, preta e periférica. Linn conta em primeira mão os desafios e satisfações do seu novo álbum
  • 12thanddelaware

8 filmes para debater a legalização do aborto

Por Letícia BahiaNo mês da luta pela descriminalização do aborto, AzMina selecionou 8 filmes e documentários que discutem o tema de diversas perspectivas.
  • tenda vermelha 6-9 capa

Uma maneira simples de prevenir doenças: o autoconhecimento

Por Juliana Luna'O autocuidado tem muito mais a ver com a nossa felicidade do que com uma prática zen, tranquilizante ou calmante".
  • azmina2

Culpa materna: por que ainda damos ouvidos a esse monstro?

Por Tayná LeiteA culpa nos relega ao posto esperado para as mães: uma suposta santificação que nada mais é do que isolamento e confinamento.
  • onibus capa

‘Cochilei no ônibus e acordei com um homem se masturbando ao meu lado’

Por Equipe AzMina'A impunidade não vai me calar agora. Demorei 10 anos, mas decidi – finalmente – gritar'
  • luizajunqueira

5 mulheres gordas que amamos seguir

Por Equipe AzMinaNos palcos, Facebook, Instagram, blogs e no YouTube, essas minas falam de dança, auto-estima, feminismo, gordofobia, moda e um tanto mais.
LEIA MAIS

Quem somos

A Associação AzMina é uma instituição sem fins lucrativos cujo objetivo é combater os diversos tipos de violência que atingem mulheres brasileiras, considerando as diversidades de raça, classe e orientação sexual. Realizamos palestras, debates, oficinas e outros eventos para aprofundar a discussão sobre os direitos da mulher e combater o machismo. Também organizamos grupos de apoio psicológico e legal para mulheres em relacionamentos abusivos, além de criar campanhas de conscientização nas redes sociais, envolvendo movimentos de mulheres e mobilizando a grande mídia.

Já a Revista AzMina é uma publicação online e gratuita para mulheres de A a Z. Nela, há espaço para todos os tipos de beleza, rostos e formas. Ensaios de moda que contemplam corpos reais, evitam o consumismo e trazem sugestões de looks que cabem no bolso. Além disso,  investimos em reportagens profundas, independentes, responsáveis, sem rabo preso com anunciantes.

Somos uma equipe apaixonada por este projeto e dedicada a usar o jornalismo para ajudar a melhorar o mundo, principalmente para nós, mulheres!

ESPIE NOSSOS PERFIS

Assine AzMina

Somos uma revista sem fins lucrativos que pretende construir um novo senso de beleza e dar ferramentas para que TODAS as mulheres brasileiras sejam ainda mais poderosas. Mas só podemos fazer tudo isso garantindo nossa independência editorial se você colaborar conosco! Coloque uma moeda no nosso cofrinho e prometemos cuidar dela com muita responsabilidade, transparência e carinho.

SAIBA COMO PATROCINAR

Seja um(a) parceiro(a)

Nossa proposta é transformar a publicidade num ato de responsabilidade social. Conheça nosso conceito de publicidade amiga da mulher e venha fazer com a gente uma revista inteligente e divertida, que acredita no potencial de cada mulher em todos os sentidos.

LEIA MAIS