• Hazuki_de_achtste_maand-Rijksmuseum_RP-P-1995-312

Isso que você chama de liberdade sexual pode ser sexo-obrigação

Por Equipe AzMinaConvencem a gente que papai-e-mamãe é coisa de gente sem sal e que existe um mundo de posições, situações e coisas sexuais que você PRECISA fazer
  • unnamed-2

Maior encontro cicloativista do Brasil terá programação especial para mulheres

Por Equipe AzMinaAula de oficina mecânica, mini documentário e painéis com debatedoras de renome destacam as relações entre a bicicleta, empoderamento feminino, equidade de gênero, diversidade e direito à cidade
  • 13220904_1719146745039709_5347519430727631220_n

Seis dos deputados contra o uso do nome social por trans usam, eles mesmos, nomes sociais

Por Amara MoiraNome social é só um primeiro passo para o reconhecimento efetivo do nosso direito de existir. De que lado você está nessa luta?
  • NIK2231

Moda que salva o mundo: looks e truques para ir trabalhar de bike sem precisar se trocar

Por Babi BowieA maioria das ciclistas não prioriza o look fitness. Mesmo que a pedalada seja uma atividade física, elas não querem perder o estilo ao se locomover, não abrem mão de vestidos e, às vezes, até usam salto
  • woman

Pequenas esposas: décimo oitavo

Por Fabiane GuimarãesEstava certa de que os ferimentos traziam por si só a resposta que Beatrice esperava: não dava para trabalhar com a cara em frangalhos. Tá entendendo? Não dava para chupar com a boca arrebentada.
  • 13249603_1006414152775451_2134016206_n

“Fui espancada pela Polícia Militar por dar um churrasco com som alto”

Por Equipe AzMinaMulher, estudante, vítima de uma arma de elastômetro calibre 12, de quase um metro de comprimento, por um homem fardado. Por um homem! Fardado!
  • marcelaantonieta

Nem Marcela Temer nem Maria Antonieta são as vilãs da História

Por Nana QueirozAs duas são mais vítimas que algozes. Ambas foram transformadas em objetos de adorno de maridos machistas que acreditam que o seu lugar é o de "bela, recatada e do lar"
  • maxresdefault

“A prisão do ex-BBB foi um alívio para as espectadoras do programa – e todas as brasileiras”

Por Equipe AzMinaLau acompanhou o programa de voz embargada e aqui faz um desabafo sobre o desfecho do caso: "foi um grande papelão da emissora e um enorme desserviço público"
  • 13181131_1088338794538946_1511739168_n

Universitárias criam sistema para ajudar colegas com acidentes menstruais

Por Lara TôrresExemplos ao redor do Brasil mostram como a irmandade feminina pode se concretizar em gestos simples e se multiplicar
  • 13151582_1006831006038579_4248348944892160783_n

Os 10 comentários mais machistas da internet sobre os ministérios de Temer

Por Nana QueirozAs falas de apoio à falta de mulheres exteriorizam o que, de fato, se passa na cabeça de um homem quando não nomeia mulheres para participar da vida política
LEIA MAIS

Quem somos

A Associação AzMina é uma instituição sem fins lucrativos cujo objetivo é combater os diversos tipos de violência que atingem mulheres brasileiras, considerando as diversidades de raça, classe e orientação sexual. Realizamos palestras, debates, oficinas e outros eventos para aprofundar a discussão sobre os direitos da mulher e combater o machismo. Também organizamos grupos de apoio psicológico e legal para mulheres em relacionamentos abusivos, além de criar campanhas de conscientização nas redes sociais, envolvendo movimentos de mulheres e mobilizando a grande mídia.

Já a Revista AzMina é uma publicação online e gratuita para mulheres de A a Z. Nela, há espaço para todos os tipos de beleza, rostos e formas. Ensaios de moda que contemplam corpos reais, evitam o consumismo e trazem sugestões de looks que cabem no bolso. Além disso,  investimos em reportagens profundas, independentes, responsáveis, sem rabo preso com anunciantes.

Somos uma equipe apaixonada por este projeto e dedicada a usar o jornalismo para ajudar a melhorar o mundo, principalmente para nós, mulheres!

ESPIE NOSSOS PERFIS

Assine AzMina

Somos uma revista sem fins lucrativos que pretende construir um novo senso de beleza e dar ferramentas para que TODAS as mulheres brasileiras sejam ainda mais poderosas. Mas só podemos fazer tudo isso garantindo nossa independência editorial se você colaborar conosco! Coloque uma moeda no nosso cofrinho e prometemos cuidar dela com muita responsabilidade, transparência e carinho.

SAIBA COMO PATROCINAR

Anuncie n’AzMina

Nossa proposta é transformar a publicidade num ato de responsabilidade social. Conheça nosso conceito de publicidade amiga da mulher e venha fazer com a gente uma revista inteligente e divertida, que acredita no potencial de cada mulher até nos anúncios.

LEIA MAIS